SEMANA CULTURAL Escola Superior de Educação de Viseu

 

Sessão de Abertura

 

 

Ana Ferreira

Silvério Pinto

2º Ano do Curso de Comunicação Social

 

 

Entre os dias 7 a 9 de Maio de 2001 decorreu, na Escola Superior de Educação, a Semana Cultural, e foi por volta das 10h de Segunda-feira, dia 7, que o Prof. Dr. Alberto Vara Branco, Presidente da ESEV, deu início à Sessão de Abertura das actividades culturais.

No seu discurso começou por destacar o orgulho que devemos ter por integrarmos a ESE mais antiga do país, que conta agora com 18 anos de experiência. Fazendo uma observação à época multifacetada que atravessamos, o presidente referiu que as bruscas e frequentes mudanças que têm ocorrido nos últimos tempos têm balizado a degradação dos valores e costumes mais antigos. A sociedade apresenta-se-nos desordenada e confusa, carente de novas soluções, nomeadamente no campo educativo. É na área da educação e do ensino que deverão ir aparecendo gradualmente as respostas aos desafios lançados pelos problemas socio-económicos e pelas necessidades culturais. Urge então, agora, repensar e reestruturar a educação. A escola não pode parar no tempo, não se pode prender a métodos, conteúdos e ideias que já não se adequam à realidade das novas gerações. Deve antes assimilar novos pensamentos, filosofias, estimular a criatividade e a técnica. A educação e a escola não devem ser alheias à sociedade, cumpre-lhes antes trabalhar em prol de comunidades mais humanas e mais justas. Estas devem apostar sempre na formação de homens cultos, bem formados cultural e socialmente, bem instruídos e capazes de actuar. Freud lembra-nos que a criança é o pai do amanhã, e é nela que devemos investir. A obra de um professor não é leve ou fácil, já que deve pensar sempre na perfeição dos alunos, deve formar seres completos, com novos alentos e interesses espirituais.

O presidente concluiu com a afirmação convicta de que a ESEV tem cumprido com a sua função formadora e pedagógica. Atravessa um período de transição e progresso em que se tem de definir um futuro, traçando planos no agora. Referiu também que a equipa do Conselho Directivo se propõe cumprir os objectivos delineados para os tempos que se seguirão e distribuiu agradecimentos por todos aqueles que engrandecem o progresso da nossa escola.

Em seguida, foi a vez do Prof. Dr. João Pedro de Barros, Presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu, marcar presença e contribuir para a abertura da Semana Cultural. Complementando as ideias e afirmações do Prof. Dr. Vara Branco, o presidente do ISPV começou por salientar a preocupação que deve nortear o ensino na ESE: perante o visível crescimento global da instituição, deve olhar-se pela qualidade da educação dos jovens, que futuramente assumirão cargos de importância e criarão a nova mentalidade para Portugal. Há pouco ganho em insistir nos problemas e períodos complicados da educação em Portugal. O tempo escasseia e tem muito mais relevância apresentar soluções que possam alterar a estrutura que hoje preside ao desenvolvimento da educação em Portugal. É exigida, nos próximos 6 anos, uma alteração profunda do sistema educativo português, para que este demonstre compatibilidade com os níveis da restante Europa, o que requer esforços redobrados por parte de quem educa. Isto constitui um desafio: manter sempre um espírito renovador, de formação constante, tendo em mente o objectivo de primar pela qualidade, ou seremos presa fácil de educadores estrangeiros que queiram vir exercer para Portugal. É hoje que deve começar o trabalho, porque um dia, há sempre um dia que nos rouba a fantasia, e a imagem que apresentamos perante a sociedade reflecte-se sempre na instituição que nos forma. O trabalho de todos resultará em melhores condições de formação e levar-nos-à ao estatuto que merecemos, daí a necessidade de apoiar todas as actividades que se possam vir a desenvolver no campo da formação e educação.

Seguiu-se a conferência da Prof. Dra. Alcina Martins, da Universidade Portucalense, que nos falou da «Estratégias de Poder Feminino na Alta Idade Média», apresentando o exemplo do Mosteiro de Vairão. Foi no século XII que a abadessa Elvira de Todereis se destacou pela excelente gestão do Mosteiro feminino, no seio de uma sociedade fortemente patriarcal, atestando assim que o acesso ao poder não estava completamente vedado às mulheres, e que através da religião esta corajosa "estratega" conseguiu exercer influências políticas na corte, impondo os seus ideais e exigências e acumulando benefícios para o seu Mosteiro.

Nos dias 8 e 9 de Maio pudemos assistir ainda a outras actividades de interesse, como Ateliers Pedagógicos, Acções de Formação, exposições, actividades ao ar livre e também interactivas. A Semana Cultural fechou as portas pelas 15 horas do dia 9, com a Sessão de Encerramento.

sumário