Contacto: assa007@ig.com.br

Àlex-Sander Assumpção

 

Nome: Àlex-Sander Assumpção

Nome Artístico: Àlex-Sander Assumpção

Nascido em 29 de Outubro de 1971, natural do Rio de Janeiro Brasil.

Descendente de Italianos abrigou a arte em sua vida através da história dos grandes mestres e pelo seu expoente, renomado e eterno pintor holandês Rembrandt.

Mestre em Artes Plásticas desde Março de 2002 onde deu início a sua trajetória artística.

Dominando a técnica acadêmica óleo sobre tela e apaixonado pelo renascentismo desenvolveu ao longo desses anos retratos de pessoas comuns, empresários, paisagens do Rio antigo, cidades Históricas como Paraty, retratos de uma sociedade mal cuidada que é uma realidade mundial e entre outros.

Seus primeiros trabalhos a serem vistos foram em um intercâmbio entre Brasil e Londres no ano passado onde sua obra sacia-me teve uma repercussão onde lhe rendeu convites para participar dos 100 anos Brasil Japão e foi agraciado no dia 16 de Julho de 2008 com a medalha de ouro com a obra A Jovem e a Botija de água.

 

Release

A arte como ela é nua e crua.

A arte tem por definição mostrar, conduzir, expressar e despertar sentimentos. Se voltarmos aos grandes mestres, a maneira como retratavam suas visões sua cultura e até por quê não afirmar os seus mais íntimos desejos, deixavam ao observador sendo ele entendedor ou não viajar em sua imaginação. Esse é o clímax entre o criador a obra e aquele a quem a observa. Assim a arte se tornava nua e crua retratada em toda a sua essência. Ela existe para ser vista, criticada e amada.

Fazer com que a arte seja retratada em sua origem é o que o artista plástico Àlex-sander Assumpção expõe os seus sentimentos e desejos para que exista uma sociedade mais justa e alerta, não só para as belezas exuberantes e magníficas que existem em nosso mundo, mas também, para os problemas que passam por despercebidos e ignorados no nosso dia a dia.

Natural do Rio de Janeiro, autodidata procurou desenvolver e aperfeiçoar sua técnica ao longo dos anos, embora se sentisse receoso e preocupado como as pessoas viriam suas obras, se absteve e quase sucumbiu esse dom tão precioso.

Mas a tempo houve o despertar, e em sua primeira fase, a qual foi convidado a participar de uma exposição em Londres se viu em meio a uma possibilidade, e acreditando em seu talento não hesitou em participar. Logo surgiram outros convites e entre eles participar da comemoração dos 100 anos Brasil Japão o qual foi agraciado em primeiro lugar com a obra A Jovem e a Botija de Água.

Deixando no início de sua caminhada artística um marco para uma nova fase da arte no Brasil.

anterior