A FLOR MAIS HUMILDE

 

Voltarei. À tarde, quando os sinos percutem no açodas calçadas e o vento sul carrega seus ocos cilindros - os cavos ecos dum passado de armadilhas, de esporas e de espadas. Voltarei, ao crepúsculo. Entrarei no templo e deixarei

nos claustros da noite

uma rosa tecida

de orvalho e de sangue. Uma rosa

de cinza e esquecimento. Ou

talvez um lírio, a flor

mais humilde adormecida

numa tela de Grão Vasco.

 

Albano Martins

 

 

Percurso pela poesia e pela pintura de nomes que em Viseu nasceram ou viveram uma parte das suas vidas, O Regresso à Condição junta em livro e em exposição alguns dos mais proeminentes criadores do distrito e região de Viseu.

Geografia do pensamento, de emoções e de linguagens que o disseminam, O Regresso à Condição é, simultaneamente, produção e reprodução de uma identidade cultural fortemente eivada de experiências e influências polifacetadas de universalismo.

apresentação

menu autores

imprimir

Galeri@ ispV

 

 

Albano Martins (Fundão, 1930).

Licenciado em Filologia Clássica. Professor do Liceu de Viseu, aí tendo cruzado com António Franco Alexandre. Docente da Universidade Fernando Pessoa. Medalha Oskar Nobiling em 1986, "Prémio de Tradução" da Sociedade de Língua Portuguesa em 1987 e "Prémio Eça de Queirós" de Poesia da Câmara Municipal de Lisboa com o livro Uma Colina para os Lábios (1993). Em cinquenta anos de carreira, publicou mais de vinte obras, todas elas pontuadas pelo rigor do dizer poético: "nada substitui a presença das coisas" (Coração de Bússola).