Sensação musical para embalo de almas

 

Onde a vida foi, fugitiva,

a forma inatingível,

a pura música cativa

e livre, como um sensível

alheio a nós, e sendo-nos,

há só o puro longe, o pólen

em suspensão e estige

de ausência - pétalas cismantes

recortando a sua origem

não em nós, na morte de instantes.

 

António de Navarro

 

 

Percurso pela poesia e pela pintura de nomes que em Viseu nasceram ou viveram uma parte das suas vidas, O Regresso à Condição junta em livro e em exposição alguns dos mais proeminentes criadores do distrito e região de Viseu.

Geografia do pensamento, de emoções e de linguagens que o disseminam, O Regresso à Condição é, simultaneamente, produção e reprodução de uma identidade cultural fortemente eivada de experiências e influências polifacetadas de universalismo.

apresentação

menu autores

imprimir

Galeri@ ispV

 

 

António de Navarro (Vilar Seco - Nelas, 1902-Lisboa, 1980).

Poeta dos mais representativos da presença, no dizer de Régio. "Prémio Camilo Pessanha" (1974). Poeta do Mar: "Sobre esta poesia decorreram distâncias / Que ficam insones e sonâmbulas e sangrentas." (O Acordar do Bronze).