TRATADO DE WINDSOR

 

PROGRAMA ANGLO-PORTUGUÊS DE INVESTIGAÇÃO CONJUNTA 2000/2001

 

Em 1985 foi assinado um protocolo de cooperação entre o British Council e o Ministério de Educação Português. Ao abrigo deste protocolo, foi lançado, em 1986, um programa anglo-português de investigação conjunta, que viria a tomar a designação de Tratado de Windsor, uma vez que naquele ano se celebrava o 600 aniversário deste acordo, o mais antigo entre dois países da União Europeia. Este esquema, estabelecido pelo British Council e pelo Ministério de Educação português, é administrado conjuntamente pelo Conselho de Reitores e Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos (pelo lado português) e pelo British Council, em representação das instituições de investigação britânicas.

 

PROJECTOS

 

São dois os tipos de projectos abrangidos por este programa:

 

AVALIAÇÃO

 

A avaliação dos projectos será levada a cabo por um Comité Coordenador Conjunto, constituído por representantes de universidades britânicas (apontados pelo British Council) e de universidades e institutos politécnicos portugueses (apontados pelo Conselho de Reitores e Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos).

 

CANDIDATURAS

 

Estão agora abertas as candidaturas para o ano 2000/2001 (a implementar entre 1 de Abril de 2000 e 31 de Março de 2001)

 

As instituições colaborantes devem apresentar candidaturas simultâneas nos respectivos países (as britânicas ao British Council, as portuguesas ao Conselho de Reitores ou ao Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos). No ano transato, o comité responsável pela selecção dos projectos decidiu ser mais receptivo a colaborações bilaterais. No entanto, são aceites candidaturas (tanto do lado português como do britânico) que envolvam nos projectos até duas instituições de cada lado. Nestes casos, a contribuição das três ou quatro instituições tem que ser devidamente indicada nos formulários de candidatura.

 

CALENDÁRIO PARA 2000/2001

 

Abertura das candidaturas: 29 de Março de 1999.

 

Data limite para envio de candidaturas (incluindo renovações): 30 de Junho de 1999.

 

As instituições com candidaturas de renovação devem enviar, até 15 de Outubro de 1999, um relatório preliminar das actividades relativas a 1999/2000. Devem ser enviadas duas cópias da candidatura, cada uma das quais incluindo: o formulário, devidamente preenchido pelo responsável máximo da equipa, e a carta de aceitação da instituição britânica.

 

Notar que:

 

As candidaturas para um segundo ano de financiamento deverão ser apresentadas nos formulários próprios para as renovações.

 

O Comité Coordenador Conjunto reunir-se-á em Novembro de 1999 para seleccionar os projectos para 2000/2001, após o que os candidatos contemplados serão informados com a brevidade possível.

 

FINANCIAMENTO

 

Os fundos disponíveis para 2000/2001 provavelmente só permitirão a atribuição de bolsas para cobrir um máximo de duas viagens de ida e volta e contribuir para as despesas de subsistência relativas a quatro semanas em Portugal/Reino Unido para cada projecto. Os custos relativos a visitas e subsistência adicionais deverão ser suportados pelos Departamentos envolvidos na colaboração. O financiamento não cobrirá honorários, despesas correntes, consumíveis para equipamento ou outras despesas variadas.

 

O parceiro britânico deverá candidatar-se a financiamento para as viagens internacionais dos elementos da equipa britânica e para a subsistência e alojamento dos visitantes portugueses pertencentes à equipa com que colaboram.

 

O parceiro português solicitará apoio financeiro para cobrir as viagens internacionais dos elementos da equipa portuguesa, assim como as despesas de subsistência e alojamento da sua contraparte no Reino Unido para a estadia desta em Portugal.

 

Pode esperar-se que a bolsa máxima para cada equipa da parceria seja de aproximadamente L1,000 (um máximo de L2,000 para as equipas em conjunto, a portuguesa e a britânica).

 

Como condição da atribuição de financiamento, deverão ser enviados, até 31 de Março de 2001, relatórios finais com declarações de despesas.

SUMÁRIO