Rádio Politécnico

(Emissão - 99/01/19)

 

ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE NO POLITÉCNICO

 

A criação de uma Escola Superior de Saúde no âmbito do Instituto Superior Politécnico de Viseu esteve em equação numa reunião conduzida por João Pedro de Barros e que juntou cerca de vinte individualidades, entre outras, Correia de Campos, coordenador da candidatura de Viseu à gorada Faculdade de Medicina. Presentes também vários deputados municipais e Coelho de Araújo, presidente da respectiva assembleia.

Durante mais de três horas, tendo como pano de fundo a resolução do Conselho de Ministros 140/98, que permite a criação de cursos ligados à saúde nas capitais de distrito onde eles não existem, foi opinião unânime de que o Politécnico de Viseu não deve descurar esta excelente oportunidade, de resto, desde há muito já em memória de João Pedro de Barros.

Face à qualidade das intervenções proferidas, o Presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu, propôs a transformação deste grupo de trabalho em Conselho Consultivo da futura Escola Superior de Saúde, naturalmente sem prejuízo da inclusão de outras figuras que, embora com este projecto, não puderam participar na reunião.

A premência da apresentação da proposta, segundo o dirigente do ISPV, aponta para a Páscoa. Quanto aos cursos, a sua escolha vai ser criteriosa, em função das necessidades regionais e nacionais, acrescentou João Pedro de Barros, não colidindo com a colaboração prevista com a Universidade de Aveiro.

Entretanto, para Correia de Campos, a sua manifesta falta de tempo não lhe permite coordenar o processo. Todavia, como referiu, o seu apoio é incondicional, não só no capítulo pessoal como no plano técnico/científico. Nas suas próprias palavras: vou colaborar intimamente com o Politécnico na elaboração da candidatura, além de estar disponível para integrar o Conselho Consultivo da futura Escola Superior de Saúde.

Finalmente, Coelho de Araújo, em declarações também à Rádio Politécnico, rotulou esta iniciativa do ISPV como muito importante e oportuna, já que fomos politicamente preteridos na questão da Faculdade de Medicina. Ainda na opinião abalizada do presidente da Assembleia Municipal de Viseu, aquando da elaboração do estudo, detectaram-se carências graves no sector da saúde na nossa região, lacunas que o responsável do Politécnico pretende colmatar com a criação da Escola Superior de Saúde, o que é de louvar e apoiar.

 

 

José Alberto

Técnico-Adjunto Especialista de 1Ş Classe - Relações Públicas - ISPV

SUMÁRIO