ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO

Relatório das actividades desenvolvidas no Encontro Des livres, des enfants et des apprentissages rêvés

 

Dias 11 e 12 de Fevereiro de 1999 - Auditório da E.S.E.V.

Nos dias 11 e 12 de Fevereiro de 1999, decorreu no auditório Manuel de Albuquerque da E.S.E.V. o encontro Des livres, des enfants et des apprentissages rêvés, organizado pela Área Científica de Francês, sob a responsabilidade de Helena Marques e com o apoio do Instituto Francês do Porto da Embaixada de França em Portugal. Centrado sobre a temática da literatura francesa para a infância e da didáctica, foram convidadas para a dinamização as Professoras-Doutoras Andrée Mansau, professora na Universidade de Toulouse Le Mirail e Marie-Héléne Porcar, professora no Instituto Universitário de Formação de Professores de Reims, ambas ligadas ao ensino e à investigação na área de literatura para a infância e juventude. A iniciativa teve como propósito oferecer aos professores de Francês Língua Estrangeira - desde a iniciação no primeiro ciclo, ás leituras oferecidas no ensino secundário - um percurso das tendências actuais da literatura infantojuvenil em França, ao mesmo tempo que se visou a sensibilização a diferentes modalidades de leitura em situação pedagógica, a partir da escolha de temáticas actuais. Participaram cerca de 75 professores vindos de vários pontos do país, bem como alguns colegas da E.S.E..

Após a sessão de abertura, que contou com a presença do Exmº Senhor Presidente do Instituto Politécnico de Viseu e do Exmº Senhor Presidente do Conselho Directivo da Escola Superior de Educação de Viseu, tiveram inicio os trabalhos do dia 11 de Fevereiro, divididos em duas partes distintas. A parte da manhã, dinamizada por Andrée Mansau, centrou a sua reflexão sobre novas abordagens da História e sua relação com o mito, em narrativas editadas para a infância nos anos 90. A título de exemplo, cita-se Je m 'appelle Adolphe, de PEF, editado em 1994 pelas edições La Nacelle. Dedicada a uma deportada da 2a grande guerra, a narrativa retoma as reminiscências dos campos de concentração, através da história sombria de uma criança rejeitada pelos pais que encontra na floresta uma velha senhora judaica. Estruturado no quadro tradicional dos contos, trata-se de um texto de aprendizagem e de maturação, dando testemunho da História e de uma possibilidade de reflexão e reconstrução do mundo.

Das 14h30 às 17h30, Marie-Hélène Porcar propôs abordagens pedagógicas a partir da selecção de seis livros para crianças que permitem um trabalho intertextual entre situações, personagens, técnicas de ilustração, apontando para várias modalidades de leitura no ensino da língua francesa. Ainda a título de exemplo, cita-se o álbum destinado à infância Les bigarreaux noirs, de Pascal Nottet e Susanne Strub, editado em 1993 pelas edições Pastel, no qual se apresenta uma narrativa que retrata uma parte da vida de um velho cão, demasiado inteligente para pertencer a alguém, e de uma avó por quem ninguém se interessava por ser velha, reencontrando ambos uma nova juventude até serem por fim enterrados debaixo duma cerejeira que dava cerejas pretas, mas que estava florida de branco. Através do jogo de contrastes simbólicos sobre o branco e o preto, percorre-se uma nova leitura da velhice e da morte tecida na narração que uma criança assume, cujo coração adoptara a avó e o velho cão.

O dia 12 de Fevereiro reservou a manhã ao estudo temático de contos antifeéricos, sendo a intervenção dirigida por Andrée Mansau sobre a temática: "os contos anti-feéricos - para iniciar a vida ou para sonhar ainda?" Através da fórmula retirada de L'oiseau philosophie, de Deleuze e Jacqueline Duhême, "pensar é sempre tomar uma linha de feiticeira", a oradora apresentou a inversão de contos célebres como Pinóquio ou Capuchinho vermelho, identificando leituras da infância e destinatários visados. Dotados de um subtil sentido poético, os textos propostos apresentam uma nova definição do bem e do mal, assumindo-se como reabilitadores das fragilidades da infância, através de um leve piscar de olhos aos fundamentos da psicanálise, na função catártica que catalisam.

Á semelhança do primeiro dia, a tarde foi mais uma vez orientada por Marie Hélène Porcar, que apresentou um exemplo de percurso leitura/escrita sobre um romance para a juventude, La prédiction de Nadia, de Marie Desplechin, onde se adopta a estratégia pedagógica da escrita para motivar à leitura. Um primeiro percurso permite a apropriação do conteúdo do texto e dos episódios essenciais. Outros itinerários, outras temáticas, criam competências sobre identificação de técnicas narrativas, escolha lexical e estilística. A obra permite abordar a cidade e as vivências dos bairros marginais dos subúrbios das grandes cidades, tendo a escritora sido muito aclamada no último verão pela critica em França e encontrando-se também esta semana no Porto para o lançamento de sua obra em Portugal.

Interessada em investir em novas formas pedagógicas do ensino de FLE, a Área Científica de Francês tem vindo a integrar um trabalho sistemático sobre textos ficcionais de autores franceses, adaptados ao universo psicológico dos formandos. Novas experiências criativas do uso da linguagem desencadeadas pelo imaginário, novos conotadores de sentido, novas aventuras de aprendizagem psico-literária se têm vindo a explorar. Desta forma, o encontro aparece ligado a outras iniciativas já tomadas na formação inicial e contínua, nomeadamente a cadeira de formação inicial do 3º ano da licenciatura de Francês-Português intitulada O mundo da criança através da literatura francófona. A finalidade é a de edificar um campo de reflexão sobre a infância a partir de uma bibliografia activa de teóricos do domínio psico-literário e da produção de materiais pedagógicos transpostos de textos literários.

No decurso do encontro circularam pelas mãos do público inúmeros livros à medida que foram sendo trabalhados, bem como foi facultada uma lista bibliográfica pertinente, visto que a literatura francesa destinada às faixas etárias em destaque não se encontra à venda nas nossas livrarias. Foram de igual modo adquiridos grande parte dos álbuns para a biblioteca da E.S.E. permitindo desta forma o livre acesso aos mesmos.

A Área Científica tem já em vista outros projectos ligados a este domínio de trabalho, reservando sua divulgação para uma outra oportunidade.

 

Helena Marques

Equiparada a Professora-Adjunta da ESEV

 

MESTRADO

Área Científica de Ciências da Educação

 

Com a defesa da dissertação - 'Resolução de Problemas Verbais de Tipo Aditivo e Nível de Desenvolvimento Psicogenético em Crianças com Dificuldades de Aprendizagem" - orientada pela Professora Doutora Luísa Maria de Almeida Morgado, Professora Catedrática da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, o licenciado em Ciências da Educação, Álvaro de Sousa Pereira Leitão, em regime de requisição na ESEV - Pólo de Lamego, concluiu, em 28 de Julho último, na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, o seu mestrado em Ciências da Educação - Área de especialização em Psicologia da Educação.

Além da orientadora, participaram no júri que presidiu à discussão pública da dissertação, a Professora Doutora Cristina Petrucci Albuquerque, da FPCE da Universidade de Coimbra e a Professora Doutora Deolinda Botelho, da Escola Superior de Educação de Lisboa. A classificação final atribuída foi de Muito Bom.

SUMÁRIO