Quase Filhos

B.F.

MARIA ELISA PINHEIRO *

 

Bem nascido. Bem aceite. Simpático. Inteligente. Sempre na primeira linha do modernismo, das tecnologias, da sociedade do ter, do consumismo. Um privilegiado...

- O meu pai comprou um carro novo - dizia um.

- O meu três - retorquia, naturalmente, B.F.

- Por isso há outros que não têm nenhum, comentava o professor tentando equilibrar o desconsolo de um com a vaidade do outro...

Uma vez, outra vez, outra ainda. Variaram as aquisições. O comentário quase não variava.

Deixou de retorquir. Compreendera, e de que maneira...

Quando, com toda a correcção, a mãe, não tendo conseguido vestir-lhe uma camisa nova porque os outros meninos não tinham, pediu ajuda, assumiram-se responsabilidades e prometeu-se resolver o assunto.

Mas não foi tarefa fácil explicar a crianças tão pequenas, vindas de meios tão diferentes, sem ferir ninguém, as diferenças sócio-económicas, e também a vantagem de haver quem possa comprar mais do que necessita para que todos possam ter trabalho gerador de riqueza que devemos partilhar.

 

8 Outubro

Viseu

_________________

* Professora reformada do 1 Ciclo do Ensino Básico

SUMÁRIO