EXPECTATIVAS DAS 3as JORNADAS TÉCNICAS DE ENGENHARIA DE MADEIRAS

 

13, 14 e 15 de Dezembro de 1999

 

Pretende-se, de uma forma geral, analisar, conjuntamente com os participantes, de forma isenta e objectiva, os sucessos e insucessos do curso de Engenharia de Madeiras, bem como o impacto no tecido sócio-económico e cultural do meio envolvente, Regional e Nacional, nos dez anos de história.

Colher em termos de "feed-back", conjuntamente com os ex-alunos, as mais valias adquiridas nas indústrias do sector e as lacunas sentidas pelos mesmos, face às exigências do mundo real do trabalho, numa perspectiva de reflexão sobre o perfil do Engenheiro de Madeiras do futuro.

Promover a manutenção e alargamento das relações com o meio Industrial como veículo privilegiadamente divulgador do potencial do curso, bem como receptor das necessidades do sector ao nível cientifico e tecnológico.

Interagir com os restantes Centros Tecnológicos na permuta de novos saberes e reflectir com os meios produtivos do sector na prossecução de conhecimentos científicos dinamizadores do desenvolvimento Tecnológico Industrial.

 

CALENDARIZAÇÃO

 

DIA 13 de Dezembro

15.00 H - Abertura das jornadas

Exmº Sr. Presidente do I.S.P.V

15.15 H - Introdução das Jornadas

Director de Curso do DEMad

Palestra técnica sobre "Acabamentos" e Lamelados Colados

15.30 H - Novas Tecnologias de Cura ultravioleta

Engº A. L. Moutinho - Tintas Conquistador

16.00 H - "Colagem de lamelados colados"

Engº Luís Carqueja - Sociedade de Gelatina do Norte

16.30 H - "Lamelados Colados"

Engº Cláudio Pires - GLULAM

17.00 H - "Sistemas construtivos de estruturas em madeira"

Prof. Dr. José Amorim Faria - (FEUP)

17.30 H - Abertura da Exposição no LTIM - (DE Mad)

 

DIA 14 de Dezembro

10.00 H - Visita à exposição de produtos e equipamentos para a indústria de madeiras

15.00 H - Visita ás instalações do DEMad

 

DIA 15 de Dezembro

Palestra técnica sobre" O Engº de Madeiras na Indústria"

15.00 H - Enquadramento do Curso

Engº António Figueiredo -DEMad

15.15 H -Ex-alunos descrevendo a sua experiência

Engº António Esteves; Engª Alda Silva; Engº Alexandre Costa;

Engº Manuel Lopes

16.15 H - Debate

16.30 H - Pausa para café

17.00 H - O Futuro das Indústrias de Madeiras em Portugal

Presidente da AIMMP

17.30 H - Encerramento das Jornadas

Presidente da E.S.T.V.

 

CONCLUSÕES

 

1 - O Curso de Engenharia de Madeiras foi, ao longo dos últimos 10 anos, o preenchimento de uma lacuna no Sector Industrial, que se manteve de uma forma dinâmica e consciente da responsabilidade acrescida pelo seu posicionamento de abertura e de interacção com o meio, culminando nos dias de hoje numa perspectiva estratégica de penetração mais incisiva no mundo do conhecimento científico e tecnológico.

2 - Do testemunho dos ex-alunos, confirmou-se uma vez mais a necessidade da mutabilidade de um curso, de visão alargada e abrangente de novas tecnologias e conhecimentos, para a consubstanciação de ferramentas necessárias ao desempenho do diplomado, corroborando, assim, a recém criada licenciatura bi-etápica.

3 - No contacto com o tecido produtivo do Sector, bem como com os restantes Centros Tecnológicos, ficou mais uma vez sublinhada a responsabilidade do curso de Engenharia de Madeiras perante a sociedade e, na qualidade de única unidade existente do pais, sobreviver obrigatoriamente com uma postura evolutiva.

4 - De forma geral, as IV Jornadas serão um facto a consumar dentro de três anos.

SUMÁRIO