Estimada EAIE,

 

Tomei conhecimento da tua vinda a Portugal no próximo mês de Julho e da tua estadia em Coimbra por uma semana. Espero, sinceramente, que aprecies essa vinda tanto quanto eu tenho apreciado cada visita que te fiz, em Maastricht, Barcelona, Milão e Estocolmo, nas tuas "newsletters" e no teu "web site".

Perdoa-me por ser tão "portuguesa", mas creio que tens muitas e boas razões para vir a Portugal e, especificamente, a Coimbra. Este é um país solarengo, de gentes "quentes" e hospitaleiras. É nosso desejo fazer-te sentir "em casa", tal como é suposto sentires-te em qualquer outro lugar. Coimbra é uma cidade encantadora feita de sonhos e esperanças de estudantes, que irás descobrir em cada nota da sua música, o fado. Tal como tu, Coimbra tem uma ampla comunidade que partilha interesses e preocupações profundas no que diz respeito à Educação. Já com mais de 700 anos de existência, a sua Universidade é um universo fundamental na vida da cidade e uma referência no sistema de ensino superior português.

Ela será provavelmente uma excelente oportunidade para travares conhecimento com profissionais oriundos das mais diversas instituições de ensino portuguesas e (quem sabe?) de ganhares novas amizades. E, claro, os teus "velhos amigos" estarão à tua espera. Talvez seja o princípio do alargamento da secção "P" das tuas listas de participantes.

Espero que em breve venhas para uma conferência, dando, assim, a oportunidade a muitos dos teus amigos, das mais variadas partes do mundo, de nos visitarem também. Portugal e, em particular, o seu sistema de ensino superior, têm registado um desenvolvimento assinalável no que diz respeito aos seus processos de internacionalização, especialmente nos últimos anos. No entanto, creio que existem muitas pessoas a desenvolver trabalho neste domínio que não têm tido oportunidades de formação adequada e, em muitos casos, não têm acesso a informação/contactos relevantes. Acredito profundamente que podes desempenhar um papel-chave neste processo, à medida que te vais tornando mais conhecida entre os profissionais portugueses envolvidos na educação internacional. Foste, certamente, fundamental no meu caso. Não irei ver-te no próximo mês de Julho porque já frequentei o curso III, em Milão, há cerca de dois anos. Espero, contudo, poder estar contigo novamente em breve. Enquanto esse momento não chega, gostaria de agradecer-te o apoio que me tens dado no meu trabalho... e a possibilidade que me deste de crescer tanto profissional como pessoalmente. Graças a ti conheci a Marta, o Theodoros, a Agnieszka, a Manja, o Eugene, a Rhèa, a Olívia... e aprendi imenso acerca dos seus países, sistemas de ensino e suas gentes. Graças a ti, tenho agora uma compreensão mais profunda do quanto tudo é tão relativo. Graças a ti, tenho agora uma noção diferente do que pode ser uma causa comum apesar dos nossos particularismos (e de como tirar o máximo proveito deles). Graças a ti, sinto-me mais confiante no meu trabalho e tenho reforçado a minha identidade profissional através da consciência que tenho da relevância crescente destas actividades e seus agentes na Europa e outras regiões. E, graças a ti, tive ideias, pensamentos e uma grande força de vontade para lutar por mudanças, mesmo quando as circunstâncias não eram muito favoráveis.

Montjuic, Duomo, La Bonbonnière, O Museu Vaasa... tiveram um sabor especial contido, sem dúvida! Continua a promover o que é diferente entre os que são diferentes!

E só para acabar, gostaria de desejar-te boa sorte para a tua próxima conferência em Leipzig. Estou certa que irá confirmar o valor da nossa amizade.

 

Até breve.

 

Sinceramente,

Sónia Silva

SUMÁRIO