OS CURSOS DE FORMAÇÃO DA EAIE *

 

HANNEKE TEEKENS

Conselheira Coordenadora.

Departamento de Estudos Educacionais e Consultoria (DESC), Nuffic, Holanda,

e actual Directora de Curso para os cursos de formação da EAIE.

A EAIE é uma associação profissional para pessoas interessadas e empenhadas na internacionalização do ensino superior. Isso significa que profissionais com formações muito distintas se encontram activos neste campo.

A maior parte das pessoas que começam a trabalhar em educação internacional não receberam em regra qualquer formação específica para o seu novo emprego, como que "caindo" nele (alguns argumentarão que "tropeçam" nele), uma vez que o campo é muito complexo e é necessário um amplo conhecimento e skills específicos antes de se atingir a proficiência.

Desde o seu primeiro momento de vida, a EAIE tem, em consequência, encarado a formação como um contributo importante para melhorar as condições para a educação internacional e para possibilitar o seu florescimento e desenvolvimento. Desde 1991, vários cursos têm sido oferecidos, contando-se actualmente por centenas os participantes de todo o mundo que neles tomaram parte, embora a maioria deles tenha, certamente, vindo da Europa. No final de cada curso, os participantes não só aprenderam informação nova como também desenvolveram a sua rede de contactos e o seu domínio pessoal da comunicação intercultural porque a atmosfera internacional dos cursos é, por si só, uma experiência de aprendizagem excelente.

O trabalho em pequenos grupos convida os participantes a um papel activo, constituindo a discussão a característica principal do formato do curso.

Como directora de curso nos dois últimos anos, sinto-me bem colocada para afirmar que os cursos são muito intensivos, exigindo muito dos participantes, mas, ao mesmo tempo, eles oferecem muita diversão e constituem uma experiência pessoal e profissional maravilhosa para todos quantos neles tomam parte. Um dos participantes escreveu: "É bom saber que os problemas que tenho no meu trabalho são iguais aos das outras instituições e que tenho agora amigos com quem posso contactar para discutir e tentar encontrar uma solução."

 

 

Programa de formação

Em 1991, teve lugar o primeiro curso de formação da EAIE. De então para cá, o programa de formação cresceu, transformou-se e desenvolveu-se, indo ao encontro das necessidades de um campo que se expande rapidamente.

Os cursos realizam-se sob os auspícios do Comité de Formação da EAIE e em cooperação com vários parceiros, em particular a Universidade de Maastricht, a Nuffic (Organização Holandesa para a Cooperação Internacional no Ensino Superior), a Universidade Autónoma de Barcelona e, em 2000, a Universidade de Coimbra.

Durante anos, vários cursos foram oferecidos, mas o cerne do conteúdo permanece focado na administração e na política de educação internacional. Em anos recentes, as Secções Profissionais da Associação ofereceram cursos e formação adicionais, tornando a EAIE uma rede verdadeiramente profissional para o aperfeiçoamento do campo.

Em 2000 serão organizados três cursos pelo Comité de Formação da EAIE. Cada um deles constitui em si mesmo uma unidade.

Introdução à Internacionalização do ensino superior

O Curso I, que terá lugar em Maastricht, é um curso introdutório, que dará uma visão geral de vários aspectos e instrumentos da internacionalização do ensino superior.

Destina-se a pessoas com dois ou três anos de experiência e que gostariam de organizar o seu trabalho diário segundo um quadro conceptual que os ajude a compreender como os diversos elementos da educação internacional estão ligados entre si.

Internacionalização e gestão estratégica no ensino superior

O Curso II realiza-se em Barcelona e foca a gestão estratégica no ensino superior.

Destina-se a profissionais, responsáveis nas suas instituições pelo desenvolvimento de políticas e pela implementação de novas estratégias para a internacionalização. É frequente ver neste curso participantes com vários anos de experiência e com responsabilidades no âmbito do processo de tomada de decisões em planeamento estratégico nas suas instituições.

Internacionalização do currículo no ensino superior

O Curso III, que acontecerá em Coimbra, vai centrar-se na internacionalização do currículo no ensino superior.

Este curso dirige-se a pessoal envolvido na criação de programas internacionais nas suas instituições.

A importância da dimensão internacional do currículo é cada vez mais reconhecida, mas compreende-se também que internacionalizar o currículo requer conhecimento e competências adicionais por parte das pessoas responsáveis pela oferta de tais programas.

A Escolha dos Locais e dos Oradores Especialistas

Os primeiros cursos foram realizados em cooperação com a Universidade de Maastricht, situada na parte mais meridional da Holanda. Esta bela cidade antiga, com a sua herança romana e com edifícios e igrejas maravilhosas de épocas distintas, oferece arredores muito agradáveis. Mas o que torna Maastrichat ainda mais adequada para um curso verdadeiramente europeu é o facto de estar situada numa região fascinante, encruzilhada de diferentes culturas e línguas. A poucos quilómetros de Maastricht ouve-se falar francês e alemão, a juntar ao holandês. Valor acrescentado, é a grande proximidade de Bruxelas, onde será feita uma visita durante o curso introdutório.

Em 1996, os cursos realizaram-se em Praga, seguindo-se Milão e Barcelona nos anos subsequentes, estabelecendo-se a tendência para escolher centros importantes de cultura para os vários cursos do programa. A encantadora cidade de Coimbra, Portugal, será um lugar bem adequado para continuar esta tradição.

Uma outra razão para diversificar os locais é a de tornar os cursos mais internacionais. Em regra, a participação de instituições do norte da Europa tem sido mais elevada do que a das instituições do sul. Espera-se que, ao localizar os cursos em vários países, se contribua para uma distribuição mais uniforme de nacionalidades. Não é apenas uma variedade de países e de backgrounds que se procura na escolha dos locais; são também os convites dirigidos aos professores dos programas.

A primeira razão para os convites reside, certamente, no conhecimento específico profundo dos professores, dando-se também uma atenção especial à inclusão de nacionalidades diferentes para garantir uma abordagem multicultural.

Grupo alvo e formato do curso

Do que ficou exposto, torna-se claro que participantes de diferentes carreiras em educação internacional são bem-vindos e que podem beneficiar dos cursos de formação da EAIE. De facto, a composição heterogénea dos grupos é um importante valor acrescentado. Pode aprender-se com pessoas muito diferentes, em instituições distintas e originárias de países diferentes. Os cursos estão abertos tanto a pessoal da administração da educação internacional como a académicos envolvidos em cursos internacionais e responsáveis pela mobilidade estudantil e pela internacionalização do currículo. Para os cursos II e III, recomenda-se a participação de pessoas com vários anos de experiência.

O formato do curso combina conhecimento teórico e prático em contextos nacionais, institucionais e pessoais. Aulas informativas alternarão com a discussão em pequenos grupos e com trabalhos práticos. Os participantes são convidados a reflectir sobre a sua situação pessoal e a ligar novos conhecimentos a aplicações possíveis na sua situação de trabalho. Dos participantes espera-se um papel activo: como alunos, como colaboradores no trabalho de grupo e na discussão, e como colegas de profissão numa rede internacional.

A língua

Uma referência breve à língua. Certamente que este é um tópico muito importante na internacionalização do ensino superior.

Sabemos que o inglês é, cada vez mais, a língua de comunicação neste campo. Em primeiro lugar, como "língua franca" para facilitar a mobilidade estudantil, mas em muitos países também como a língua de ensino em cursos internacionais. Isto aplica-se também aos cursos da EAIE, onde o inglês é a língua usada para o ensino e para a discussão no trabalho de grupo:

A natureza intensiva e interactiva dos cursos requer um domínio do inglês que realmente permita a um participante envolver-se. Tal significa que não é permitida a presença de intérpretes. Também não pode pedir-se aos colegas que ajam como intérpretes substantivos: aceita-se a ajuda pontual numa palavra difícil, mas um murmúrio permanente é altamente perturbador para os outros participantes. Por conseguinte, o Comité de Formação estabeleceu que têm de abandonar o curso os participantes cujo domínio do inglês se mostrar insuficiente para as suas exigências. Mas, por favor, não deixeis que isto vos afugente! Participantes diferentes encontram-se em níveis distintos do inglês e todos nós tomamos isso em consideração, não havendo, portanto, qualquer problema se não se for completamente fluente. É necessário apenas um bom domínio básico da língua. E o que é realmente bom no curso é que ao fim de uma semana todos aperfeiçoámos as nossas capacidades linguísticas em consequência de uma comunicação feita todo o tempo em inglês!

Boas vindas amigas

Como directora de curso do programa 2000, espero com prazer ver uma participação especial de Portugal nos cursos deste ano, especialmente em Coimbra, mas confiadamente também nos outros locais. Espero que a informação contida neste artigo tenha dado a informação de base para convencer os superiores hierárquicos de que melhorar as capacidades profissionais é fundamental para actualizar o conhecimento e participar numa rede profissional. Para mim, pessoalmente, será um prazer trabalhar no vosso país, ansiando muito por conhecer melhor a vossa cultura e as condições para a internacionalização do ensino superior em Portugal.

Pormenores dos cursos de formação de 2000 da EAIE, com data limite de inscrição em 10 de Abril.

Data

Do Curso

Do Local

Custos

5 – 9 Junho

Introdução à

internacionalização do ensino superior

Maastricht – Holanda

NLG 2.550, para membros da EAIE em 2000; NLG 2.750, para não-membros

18-22 Junho

Internacionalização e gestão estratégica no ensino superior

Barcelona – Espanha

NLG 2.500, para membros da EAIE em 2000; NLG 2.700, para não-membros

2-6 Julho

Internacionalização do currículo no ensino superior

Coimbra – Portugal

NLG 2.500, para membros da EAIE em 2000; NLG 2.700, para não-membros.

Para fazer a inscrição num curso, convido-os a utilizar o formulário de inscrição interactivo disponível no website da EAIE (http://www.eaie.org) ou a contactar o Secretariado da EAIE solicitando um exemplar da brochura dos cursos de formação e o formulário de inscrição.

 

 

EAIE

PO Box 11189

1001 GD Amsterdam

The Netherlands

Tel. + 31 – 20 – 5254999

Fax + 31 – 20 – 5254998

e-mail eaie@eaie.nl

______________

* Tradução: Vasco Oliveira e Cunha. Colaboração de Sónia Silva e John McKenny.

SUMÁRIO