DOCENTES DO INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU LEVAM A CABO MISSÕES DE ENSINO DE CURTA DURAÇÃO EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR ESTRANGEIRAS

 

PROGRAMA SÓCRATES 1999/2000

 

Como vem sendo usual, o Instituto Superior Politécnico de Viseu promoveu no presente ano lectivo, ao abrigo do programa comunitário Sócrates/Erasmus, mobilidade de docentes para a concretização de missões de ensino de curta duração. Nas referidas actividades participaram docentes das três Escolas Integradas, nos seguintes termos:

 

Escola Superior de Educação

Nome: Véronique Delplancq

Instituição anfitriã: Universidade de Mons Hainaut ( Bélgica)

Área: Aprendizagem de Língua Estrangeira

 

Escola Superior de Tecnologia

Nome: António Baptista

Instituição anfitriã: Universidade de Salamanca – Pólo de Zamora ( Espanha)

Área: Engenharia Civil

Nome: Luís Serrano

Instituição anfitriã: Universidade de Salamanca – Pólo de Zamora ( Espanha)

Área; Engenharia Mecânica

 

Escola Superior Agrária

Nome: António Jordão

Instituição anfitriã: Universidade de Horticultura e Tecnologia Alimentar de Budapeste (Hungria)

Área: Viti/vinicultura

 

Nome: Fátima Pinho

Instituição anfitriã: Universidade Autónoma de Barcelona (Espanha)

Área: Agricultura

 

Nome: Helena Vala

Instituição anfitriã: Universidade Autónoma de Barcelona (Espanha)

Área: Zootecnia

 

Ao longo de uma semana, os referidos docentes leccionaram, em média, 8 horas nas áreas respectivas científicas, tendo também desenvolvido contactos com docentes, investigadores e responsáveis pela cooperação internacional nas instituições de acolhimento. Estas experiências tem revelado um enorme potencial na promoção da cooperação internacional já que têm como efeito a sensibilização dos docentes para o valor acrescentado trazido pelo reforço dos contactos internacionais com outras instituições de ensino superior e, frequentemente, dão início a novos projectos em diversos domínios, tais como programas conjuntos ou mesmo investigação. Por outro lado, a participação de docentes nestas actividades estimula e cria novas condições para o funcionamento da mobilidade de estudantes, uma outra actividade fundamental nos planos de cooperação da instituição. Sendo um elemento mais estável nas instituições, os docentes afectam estruturalmente a dinâmica das mesmas e poderão, a prazo, serem eles próprios os fundamentais promotores destas actividades, pelo que o ISPV pretende continuar a criar as condições necessárias para reforçar a mobilidade a este nível.

SUMÁRIO