Música de Verão

 

RUI TORRES DE ALMEIDA*

 

Há um grilinho que canta

Numa gaiola doirada,

Mas o que mais me encanta

É grilo não ter garganta

E cantar à desgarrada.

 

Já cantou ao desafio

Em alegre serenata

Na lareira do meu tio,

Ali pertinho do "Rio",

Não muito longe da "Mata".

 

Cri... cri... cri... é poesia

Em noites de desfolhada.

No quintal da minha tia

Até ao romper do dia

Não é noite, é madrugada!

 

Ai meu grilão, meu safado,

Que cantas noites inteiras

Debaixo do meu telhado.

Tem cautela! Tem cuidado!

Eu não sou p'ra brincadeiras.

Julho de 1993

_____________________

* Um Homem da Beira.

SUMÁRIO