Menino da Minha Escola

 

RUI TORRES DE ALMEIDA *

 

A boina descolorida,

Os pés descalços, quase nu,

A camisa a desfiar-se

E as calças rotas no cú.

 

Leva dentro da sacola

Uma lousa, dois ponteiros

E três livros já marcados

Do fumo dos candeeiros.

 

Dois cadernos, um tinteiro,

A atiradeira da caça,

Mais uma bola de trapos,

Um pião, uma baraça,

 

Seis azeitonas curtidas,

Uma sardinha salgada,

Um pedaço de pão duro,

É o lanche - sem mais nada!

 

Em direcção à casita,

Findas as aulas do dia,

Voa fogoso, ladino,

Em tremenda correria.

 

No curral está o rebanho

Que ele irá apascentar,

As lições são adiadas

Pr'à noite quando voltar.

 

Depois das lições estudadas,

Deita-se na sua cama,

Sonhando com coisas lindas

Desperta com os pés na lama.

 

Menino da minha aldeia,

Menino da Beira Serra,

Tu tens gravada nos olhos

A alma da minha terra!

 

1982

______________

* Um Homem da Beira.

SUMÁRIO