Rouxinóis de Linda-a-Velha

 

RUI TORRES DE ALMEIDA *

 

Vejo e retrato

Deste quinto andar

Colinas e mato

A torre da NATO

E as ondas do mar.

 

Defronte, Caxias,

Ao lado, o Jamor.

Cautela, não rias,

As noites são frias

Não acordes a dor.

 

Criança que moras

No alto do monte,

Eu sei porque choras

Em dias sem horas

Olhando a Ponte.

 

Bem perto do rio,

Não longe do mar,

Tens fome, tens frio,

Num mundo vazio

Que não sabe amar.

 

E à luz dum farol

Na noite a brilhar,

Desde o pôr-do-sol

Canta um rouxinol

Que chora a cantar.

 

Canta Passarinho

Teu hino de amor!

Não cantas sozinho

À beira dum ninho

No vale do Jamor.

 

Lá no céu distante

Sou teu companheiro

Num voo errante

De míssil gigante

Em longo cruzeiro.

 

1988

___________________

* Um Homem da Beira.

SUMÁRIO