Escola Superior de Tecnologia

 

II JORNADAS TÉCNICO-CIENTÍFICAS DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA

(20 – 21 Outubro 2000)

 

Iniciadas em 1998, as Jornadas Técnico-Científicas de Engenharia Electrotécnica prosseguiram no início do presente ano lectivo com um programa diversificado de conferências e de workshops, com uma presença forte de documentação bibliográfica de sectores privados específicos, bem como de equipamento.

Millenium divulga neste número um inventário, necessariamente breve, das comunicações apresentadas. Em data oportuna, voltar-se-á às Jornadas para delas apresentar os textos integrais produzidos.

 

Os conceitos clássicos de planeamento e de evolução das redes eléctricas; novos elementos a ter em conta no planeamento e evolução das redes eléctricas; aspectos específicos relativos às redes de distribuição de energia eléctrica.

Evolução da pequena produção eléctrica em Portugal; impactos da produção dispersa no despacho, na tensão das redes, na frequência, nas perdas eléctricas e nos congestionamentos; alteração nos trânsitos de potência; impactos na continuidade de serviço das redes; poluição harmónica; formas de minimização dos impactos.

Fusão sensorial; aprendizagem em robótica; controlo com observador activo e navegação assistida de robots orientados-a-humanos; uma experiência recente na colaboração com a indústria de robotização de processos.

Aspectos gerais a considerar na selecção dos descarregadores de sobretensões para redes MT; aspectos complementares específicos; exemplo de aplicação

Configuração de alguns exemplos de aplicação de técnicas de visão – do GPS à topografia, dos avatares até à realidade virtual.

A Contribuição das Energias Renováveis e das Cogerações para a produção de Energia Eléctrica; o quadro legislativo; sistemas de tarifação aplicáveis.

Anterior enquadramento jurídico da política nacional de electrificação do sector eléctrico; Regulamento da Rede de Distribuição.

Conceito de CNC; Origem, aplicações e vantagens; o CNC e o CAD/CAM nos processos automáticos de fabrico.

Uma visão geral sobre os sistemas de comunicação e de guiamento; As denominadas Ajudas-Rádio (NDB, VOR, DME, ILS); os tipos de Radar de Vigilância Aérea: o Radar Primário e as suas caractarísticas específicas nesta área de aplicação; o Radar Secundário; o Sistema Radar da FIR (Região de Informação de Voo) de Lisboa.

SUMÁRIO