ESQUEMAS DE MOBILIDADE NO ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO NO ÂMBITO DO ENSINO SUPERIOR

(Sistema Europeu de Transferência de Créditos) ECTS - CATS (Sistema de Transferência de Acumulação de Créditos)

Instituições de Educação e Formação

Cursos Modulares Tradicionais/Convencionais

Trabalho Prático/Estágios

Formação

(Tipo de curso)

Cursos de Ensino Aberto e à Distância

Aprendizagem Prévia; Aprendizagem Experiencial Prévia

  • Universidades e outras instituições de ensino superior
  • Públicas/Privadas*
  • Universidade Aberta

______________________

* Privadas reconhecidas ainda não existem na Grécia.

ECTS/CATS:

Atribuição de créditos por:

  • Substituição

ou

Acumulação

Esquemas de estágios com supervisão:

  • integrados no programa de estudos
  • trabalho/experiência pós curso superior
  • experiência laboral
  • educação de tipo cooperativo (não existente em todos os Estados Membros)
  • Formação durante o período de estudo (escolas/quintas de Verão, cursos intensivos, etc)
  • Formação pós-curso superior
  • (Convencional, modular)

    ECTS/CATS:

    Atribuição de créditos por:

    • substituição

    ou

    • acumulação

    (Mobilidade Virtual)

    • Aprendizagem no trabalho

    Equivalência de créditos

    Atribuição de créditos por emissores de créditos

    • Competências profissionais, experiência

    Equivalência de créditos

    Atribuição de créditos

    • Aprendizagem em contexto educativo
    • Atribuição de créditos

    Pré-Requisitos

    Política Comunitária Ц Políticas Nacionais

    Política relativa a: ECTS/CATS

    Estatuto das instituições de ensino superior

    • Política comunitária, políticas nacionais, política relativa ao CATS, políticas institucionais e referentes aos cursos
    • Estágios orientados e avaliados
    • Programa de formação detalhado assente em objectivos
    • Responsabilidade individual
  • Políticas comunitárias racionais e relativas ao CATS - legislação
  • Acreditação dos atribuidores de créditos (organizações, instituições, câmaras, organismos profissionais, consórcios, etc.)
  • Responsabilidade individual
  • Políticas Comunitárias/Nacionais

    Enquadramentos legais nacionais

    ________

    ** Iniciado também na Grécia.

    • Políticas Comunitárias e Nacionais, e política HRD
    • Legislação
    • Elaboração de uma metodologia para especificar o PL e o PEL e para traduzir uma experiência em objectivos e, depois, em créditos.

    Requisitos

    • Atribuição de créditos a cursos
    • Acordos bilaterais no âmbito do CATS ou formação de redes/parcerias/consórcia universitárias
    • Avaliação da qualidade para o estabelecimento de uma credibilidade que facilite o reconhecimento de uma forma ampla.
  • Atribuição de créditos a estágios com supervisão
  • Atribuição de créditos a experiências pós-curso superior (não é imperativo)
  • Atribuição de créditos a experiência laboral
  • Acordos relativos à atribuição de créditos a cursos, indivíduos com Organismos profissionais, Câmaras e outros envolvidos
  • Avaliação da qualidade e emissão de certificados
  • Acreditação do programa de formação com referência aos curricula, qualificação infraestrutural dos docentes e dimensão europeia, etc.
  • Atribuição de créditos a cursos de formação acreditados
  • Cursos a serem formatados e documentados
  • Os créditos terão de ser correspondentes a uma área cognitiva
  • Emissão de certificados/transcrições de registos que descreva, de forma transparente, os resultados dos formandos
  • Modelos de garantia de qualidade
  • Atribuição de créditos a cursos; Atribuição de créditos a indivíduos por
  • - substituição

    - acumulação

    • Acordos bilaterais relativos a créditos no âmbito do CATS

    Benvindos

    • Garantia de qualidade
  • Condições de admissão concretas para os detentores de créditos para PL e PEL
  • Emissores de créditos/Avaliadores

    • Universidades e outras instituições de ensino superior
    • Agências Nacionais
    • Conselhos Nacionais
  • Instituições de ensino superior
  • Comités Conjuntos (instituições de ensino superior, organismos profissionais, etc.).
  • Câmaras/redes/Consórcia
  • Podem estar associados
  • Agências Nacionais/Conselhos ou
  • Outros Organismos de Acreditação
  • Instituições de ensino superior
  • Organismos profissionais, câmaras/Redes/Consórcia
  • Agências Nacionais/Conselhos
  • Organismos da acreditação
  • Instituições de ensino superior
  • Organismos de Acreditação eg. Instituições de ensino superior associadas a estes organismos, ou outras instituições
  • Instituições de ensino superior
  • Organismos profissionais, Câmaras/Redes/Consórcia
  • Agências/Conselhos Nacionais competentes
  • Outputs

    Atribuição de grau pela instituição de origem e/ou anfitriã

    Suplemento de diploma emitido

    Duplo grau tornado possível

    • Certificado emitido
    • Créditos atribuídos
    • Suplemento de diploma relativo à experiência profissional/laboral
  • Certificado emitido
  • Suplemento de diploma
  • Certificado emitido
  • Suplemento de diploma
  • Certificado emitido
  • Diploma ou certificado emitido(s) pelos acima mencionados emissores de créditos
  • Recomendações

    Geral:

    - A acumulação de créditos deve seguir um determinado esquema, de forma a que todos os créditos acumulados (através dos resultados alcançados) apresentem coerência e cubram os objectivos dos cursos convencionais, cujo grau seria atribuído no final.

    - Estabelecer ao nível nacional, um modelo de garantia de qualidade que dê respostas às necessidades académicas e profissionais.

    No caso da atribuição de graus, e quando a mobilidade se efectua entre universidades e outras instituições de ensino superior, o reconhecimento académico parece ser problemático. Por conseguinte, é necessário que esta questão seja abordada em cada Estado Membro, de forma a eliminar esta discriminação.

    • Ainda que, regra geral, a atribuição de créditos seja já realizada na Europa, é necessário chegar a uma formulação deste tipo de aprendizagem de forma a facilitar o reconhecimento de competências
    • É necessário uma avaliação conjunta /efectuada por académicos e profissionais locais)
    • Todos os trabalhos práticos/estágios têm de ser supervisionados e avaliados
    • É necessário estabelecer um formato.
  • As instituições de formação não associadas a instituições de ensino superior devem publicar, um conjunto com um ou mais dos seus pares, um relatório de avaliação de qualidade, segundo o que está estipulado pela política de garantia de qualidade da instituição.
  • As actividades de formação têm de ser supervisionadas e avaliadas.
  • Os cursos de ensino aberto e à distância necessitam de um formato e de uma estrutura bem definidos, de forma a que os resultados da aprendizagem possam ser mensurados
  • A mobilidade virtual deve ser considerada no design da transferência de competências, nas questões ligadas à dimensão europeia, à mobilidade em geral, devendo constar da Declaração de política europeia das instituições de ensino superior
  • É necessária uma estrutura nacional/sectorial para transpor a experiência para objectivos de aprendizagem
  • Estabelecimento de um Comité/Organismo/Instituição conjuntos para examinar/medir/avaliar e para emitir certificados de acesso a qualquer tipo de educação pós-secundária, a instituições de ensino superior, de acordo com os pré-requisitos e condições mínimas mencionados.
  • Todas as actividades têm de ser avaliadas.
  •  

    ллллллллл