Rui Torres de Almeida*

 

De Routar ao Caramulo

Chiam os carros das vacas

Lá nas vertentes da serra,

Acordes de serenatas

Nas madrugadas da terra.

 

Pulam melros nos silvados,

As rolas gemem baixinho.

Correm perdizes nos prados

Afugentadas do ninho.

 

Despertam as cotovias,

Acordou a natureza

Com rendas de fantasias

Num arraial de beleza.

Olha o céu azulado

De pés fincados no chão,

Um pastor enamorado

Trauteando uma canção.

 

Desde manhã ao pôr-do-sol,

Uma alvorada sem fim!

Hino à paz dum rouxinol

Escondido dentro de mim

 

 

 

(1983)

 

* Um homem da Beira

sumário