Hélio Bernardo Lopes *

 

UM SORRISO LINDO

Passara e retumbante

o inesperado jantar.

Envolvente,

diferente do que ouvira,

assustador na novidade,

um resíduo, porém, deixara,

que seu coração mais não esqueceu.

 

E por nervosa se então deu,

naquele viagem breve,

na serpenteada Lisboa nova,

como se fugisse,

assustada e encantada,

com o que nunca, afinal, imaginara.

 

De toda a arte deitei mão,

mas mais que tudo da verdade,

e em sua face eu vi então

aquele brilhar tão forte,

que debitava se sorrindo,

num olhar lânguido e tão lindo.

___________________________

* Jornalista

sumário