MILLENIUM n. 6 - Março de 1997

14. Aniversário da E.S.E.V.

 

PARABÉNS!

 

Coincide a publicação deste número da revista Millenium com a celebração do 14. aniversário da ESEV aniversário da abertura solene do início do ano lectivo, que não da sua fundação, ocorrida a 4 de Março, com a publicação da Portaria n. 250/83. Saliente-se que os Politécnicos tinham sido criados pelo Decreto-Lei n. 513-T/79, de 26 de Dezembro.

Por este motivo, cumpre-me, antes de mais, felicitar o Director do Departamento Cultural do Instituto Superior Politécnico, Doutor Vasco Soares de Oliveira e Cunha, responsável pelo "parto" difícil da Millenium e pela sua publicação sustentada e periódica. Pela sua visão, persistência e tenacidade, pelo seu poder de diálogo com todos os possíveis colaboradores, conseguiu imprimir à "nossa" Revista uma dinâmica própria e um élan revigorante, em suma, um espelho do que é o Instituto Superior Politécnico de Viseu e as suas Escolas integradas. Parabéns ainda por esta feliz coincidência da celebração de mais um aniversário desta Escola com a publicação de um número da responsabilidade dos docentes da ESEV, sob a coordenação do Departamento de Ciências da Educação.

Gostaria de relembrar e saudar com emoção todos aqueles que, há 14 anos, tornaram possível a abertura solene do ano lectivo, realizada com solenidade a 26 de Março de 1983. E a minha primeira saudação vai para a primeira Comissão Instaladora da ESEV, presidida pela Doutora Maria Avelina Rainho, tendo como vogais os então Licenciados João Pedro de Barros e Maria José Pinto Moura. Ao seu trabalho pioneiro e dedicação extrema ficamos a dever o que agora celebramos com tanta emoção.

Das diligências anteriores que levaram à criação da ESEV não tenho conhecimento directo nem pormenorizado. Outros terão oportunidade de a esse facto se referirem. É com prazer que realço o papel desempenhado pelo Professor-Doutor João Pedro de Barros, actualmente Presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu e ao tempo deputado na Assembleia da República, que desempenhou papel fundamental na criação da ESEV. Para ele, pois, o nosso reconhecimento e os nossos parabéns!

Recordo comovido o orador principal da cerimónia de há 14 anos, o saudoso Professor Doutor João Evangelista Loureiro. Homem de visão e dinamismo, foi um grande amigo da ESEV. Conheci-o nas reuniões do Conselho Científico, tendo-o admirado desde o primeiro momento pela sua simplicidade e pelo seu espírito pragmático.

Gostaria de recordar os restantes elementos desse primeiro Conselho Científico, de entre os quais destaco, por muito me terem tocado, além do já citado Professor Doutor Evangelista Loureiro, os Professores Doutores António de Oliveira, Odete Valente, Isabel Alarcão e Nicolau Raposo, e ainda a Doutora Maria Avelina Rainho. Os dias que pacientemente passaram na ESEV a trabalhar e as decisões que sabiamente foram tomando ficam na história da instituição e das outras Escolas Superiores de Educação como um desbravar pioneiro do que veio a ser a nova formação de professores em Portugal. Tive o prazer e a subida honra de fazer parte deste primeiro Conselho Científico a partir de 15 de Fevereiro de 1984, nomeado por Sua Excelência o Secretário de Estado do Ensino Superior.

Gostaria de homenagear os docentes da ESEV que começaram a leccionar nesta casa em Abril de 1983 e aos quais me vim juntar em Setembro/Outubro do mesmo ano, no início de um novo ano lectivo para uma nova "fornada" de alunos e continuação do ano lectivo para a turma pioneira que começara em Abril. Alguns continuam connosco e outros deixaram-nos para desempenharem funções noutras instituições. Destaco, além das já mencionadas Doutoras Avelina Rainho e Maria José Moura, os Doutores Fernando Duarte, António Soares Marques, Fernando Vale e Ricardo Cardoso e as Doutoras Ana Maria Oliveira, Maria Paula Carvalho, Anabela Novais, Fernanda Martins, Anabela Panão e Lina Fonseca.

Recordo com emoção o saudoso senhor Medeiros, o primeiro administrador desta instituição. Para ele, a ESEV era a segunda família. As horas e os minutos de cada dia dedicou-os a esta instituição, pelos vários locais por onde andámos, desde o apartamento na Rua Alexandre Lobo, às instalações da ex-ENEI (Escola Normal de Educadores de Infância), na Avenida Infante D. Henrique, às instalações emprestadas pela Universidade Católica, na Estrada de Circunvalação, e ainda às instalações, também emprestadas, na Escola da Ribeira. Tinha ainda o senhor Medeiros uma terceira família: era a APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental). Com que regozijo me foi mostrar certo dia uma quinta que "ele" tinha comprado para esta associação. Destaco o "ele" porque foi graças às suas famosas economias e à sua contabilidade que a associação conseguiu juntar o dinheiro suficiente para tão elevado encargo.

Devo saudar com muito gosto a Dona Gilda, que foi a nossa primeira secretária. O toque pessoal, a par de um profissionalismo exemplar, que ela conseguia dar a tudo o que lhe era solicitado, desde pautas de alunos a trabalhos e testes que lhe pedíamos para dactilografar, deixa-nos uma indescritível saudade desses bons velhos tempos em que a ESEV era uma instituição ainda "pequenina".

Quero felicitar todos os professores e educadores formados pela ESEV, muitos dos quais estão hoje associados na APEFESEV (Associação de Professores e Educadores Formados pela Escola Superior de Educação de Viseu). Até ao fim do ano lectivo de 1995/96, a ESEV já formou: em Viseu, 1010; e em Lamego, 211.

Finalmente, quero felicitar todos os funcionários, alunos e professores que actualmente trabalham na ESEV e contribuem para que esta instituição continue a ser pioneira no ensino e na formação de professores. Trabalhamos todos, independentemente da hora e condições de chegada, com abnegação e profissionalismo, para um fim comum: a melhor formação possível de todos os profissionais da educação que por aqui passam. À semelhança da semente de Abraão, que de uma sementinha se transformou numa grande nação, assim a nossa Escola, que nestes anos cresceu de sete docentes para noventa e de trinta e dois alunos para mil e cem, continue a crescer e a frutificar, não só em número, mas também em qualidade e sabedoria. Parabéns a todos!

 

 

Fernando de Andrade Amaro

 

Presidente do Conselho Directivo

SUMÁRIO