MILLENIUM n. 9 - Janeiro de 1998

 

Editorial

Millenium surgiu em 1996 como uma proposta de trabalho, pretendendo constituir-se e cimentar-se como um fórum para a circulação de ideias sobre questões nacionais e internacionais de importância crucial para a cultura, a ciência e a educação, nomeadamente as da cooperação académica; como um espaço para o aprofundamento das relações de cooperação entre a escola e a empresa; como veículo de defesa dos valores e dos interesses regionais, uma perspectiva de fundo no quadro de princípios do Ensino Superior Politécnico.

Durante dois anos, a revista abriu-se à colaboração exterior à instituição e ao país, teve internamente um nível elevado de colaboração de todas as Unidades Orgânicas integradas no ISPV; alargou a sua estrutura inicial com a introdução da secção "Arquivos"; aumentou gradualmente a sua tiragem; independentizou-se do exterior em termos de impressão e de encadernação; ganhou leitores.

Mas Millenium tem deparado com inúmeras dificuldades, algumas aparecendo como "pecado original" e outras geradas pela dinâmica própria que conseguiu desenvolver. Uma delas situa-se na área da informação académica, até agora deficitária, e que urge alargar a todas as actividades de relevo, tanto por parte dos docentes, como dos estudantes e dos funcionários do ISPV. Outra das dificuldades sentidas, a da manutenção da secção "Perspectivas", uma vez que as colaborações não têm abundado. Quando se fala da vida, "ou de pequenas fracções dela, de forma mais ou menos densa, mais ou menos leve", a diversidade de opiniões, de pontos de vista, é o factor mais poderoso de enriquecimento.

No início do seu terceiro ano de publicação, e de forma a poder contornar estas (e muitas outras) dificuldades, a direcção da revista passará a ser apoiada por uma sub-directora e por um responsável pela recolha de informação junto das Unidades Orgânicas. Desaparecem, assim, os dois cargos de coordenador.

A filosofia inerente à sua criação e a actual estruturação por secções, contudo, serão mantidas.

A divulgação de programas comunitários, a análise de sistemas educativos de outras regiões do globo, sobretudo dos menos conhecidos entre nós, a internacionalização da educação, a formação de professores de educação física, o ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras são apenas alguns dos projectos que poderão vir a ser concretizados neste terceiro ano de vida de Millenium.

 

Sónia Maria Rodrigues da Fonseca e Silva

 

BIOGRAFIA

 

Sónia Maria Rodrigues da Fonseca e Silva, nascida em Moçambique em 1970, é licenciada pela Universidade do Minho em, "Relações Internacionais - Ramo Culturais e Políticas". Detém o grau de proficiência conferido pelo "American Language Institute"(Porto), tendo frequentado o curso "Introdução à Internacionalização da Educação", da organização da E.A.I.E. (European Association for International Education), que decorreu na Universidade de Maastricht (Holanda), em Julho de 1997.

Desempenha, desde Novembro de 1994, as funções de técnica superior de relações internacionais no Departamento Cultural do Instituto Superior Politécnico de Viseu, tendo desenvolvido, ao serviço desta Instituição, actividades nos domínios da cooperação internacional e da edição de publicações.

No que diz respeito à cooperação internacional, ocupa-se da gestão administrativa de programas comunitários de apoio (SOCRATES, LEONARDO DA VINCI, ALFA, TEMPUS...), assim como dos projectos implementados ao seu abrigo, com particular destaque para os intercâmbios de estudantes e docentes. A gestão da informação nesta área tem sido outra das suas actividades, pelo que tem participado em diversas conferências e sessões de informação, promovidas pelo Ministério da Educação, ministério da Ciência e Tecnologia, E.A.I.E., entre outras instituições. Para além disso, tem participado em projectos de cooperação inter-universitária desenvolvidos no seio do "Pólo Universitário Transfronteiriço de Castilla y León e da Região Centro de Portugal", do qual o I.S.P.V. é membro fundador.

Desde o início desempenha as funções de coordenadora em MILLENIUM, passando em 1998 a ocupar o lugar de Sub-directora da referida publicação, na qual participa também na qualidade de colaboradora através de artigos sobre programas comunitários de apoio à cooperação inter-universitária transnacional.

 

SUMÁRIO