INVESTIGANDO...

 

«CULTURAS DE APRENDIZAGEM»

UM PROJECTO EM EMBRIÃO *

 

 

 

Na mesma linha de preocupação de conhecer e avaliar para melhorar (que deixamos expressa noutros artigos e secções), iniciámos na Escola Superior de Educação de Viseu um trabalho que está ainda em fase embrionária.

Quando estávamos numa fase meramente exploratória; quando nos preparávamos para discutir com outros colegas como iríamos motivar "toda a gente" para um trabalho necessário; quando discutíamos projectos possíveis, perspectivando teorias, objectivos e metodologias, surgiu um convite para participarmos num Colóquio com outros colegas em Castelo Branco. O tema de tal colóquio apresentava-se assim: Culturas de Aprendizagem. As ciências, as artes e as humanidades: conhecimento e práticas.

Resolvemos levar lá algumas das nossas preocupações daquele momento que estavam ainda longe de uma forma bem estruturada de tratamento. Algum caminho já percorremos depois disso; alguns processos se desencadearam já na nossa Escola depois daquela primeira abordagem que provocou alguns "choques".

Para historial do processo aqui ficam alguns textos na forma exacta que assumiram, como pretexto de diálogo. O desenrolar do projecto mostrará quanto esta era uma fase incipiente e quase "ingénua". Mas para a nossa própria análise dos processos e dinâmicas internas ela tem algum interesse documental. É por isso que queremos registá-la em memória escrita.

 

*

1- Este Projecto é coordenado pela Área CientÍfica de Ciências da Educação com a colaboração dos seguintes docentes: Ana Maria Mouraz, António Rodrigues-Lopes, Fernando Andrade Amaro, Maria Fernanda Gonçalves, Maria de Jesus Fonseca.

2 - O trabalho está projectado para desenvolvimento de 3 linhas de investigação que podem enunciar-se do seguinte modo:

a) Os alunos da ESEV - quem são?

(Esta linha abarca questões que vão da caracterização sociológica e geográfica da população discente, às suas motivações para a escolha do curso, as condições de trabalho e modos de integração na Escola).

b) Curriculo(s) de formação da ESEV

O programado - o praticado - o implícito.

O modelo de formação e as concepções de professor.

c) Trajectos profissionais dos diplomados pela ESEV - Histórias de sucessos e insucessos - uma fonte de dados para repensar a Escola.

O grupo animador deste trabalho, a par da reflexão teórica e da clarificação de objectivos, lançou-se numa pesquisa de dados exploratória que permitisse um conhecimento prévio mais adequado do campo de análise, a estruturação de subprojectos e a construção adequada de instrumentos de pesquisa.

É essa informação que está agora a ser tratada com vista aos objectivos enunciados.

3 - As comunicações apresentadas em Castelo Branco são as seguintes:

1ª Nota de apresentação, feita pelo Presidente do Conselho Directivo da Escola Superior de Educação de Viseu, Dr. Fernando Andrade Amaro.

2ª "Conceitos fundamentais subjacentes ao tema proposto" - Drª Maria de Jesus Fonseca.

3ª Porquê o recurso ao conceito de currículo oculto, na clarificação de cultura(s) de aprendizagem praticada(s) - Drª Fernanda Gonçalves.

4ª A - Enquadramento metodológico da investigação projectada. Procedimentos utilizados até ao momento. - Dr. Rodrigues-Lopes.

B - Docência e aprendizagem na perspectiva dos alunos da ESEV - selecção de informação colhida através do inquérito exploratório. - Drª Ana Maria Mouraz.

5ª Síntese e algumas conclusões provisórias.

SUMÁRIO