RÁDIO POLITÉCNICO

 

3 CONGRESSO DO ENSINO SUPERIOR POLITÉCNICO

 

Na sequência da realização do 3 Congresso do Ensino Superior Politécnico (18-19 e 20 de Fevereiro de 1998), o senhor Presidente do ISPV falou do evento na Rádio Politécnico começando por referir que o balanço foi muito positivo, uma vez que "permitiu verificar que estamos na rota certa", como, de resto, o comprovaram as intervenções do senhor Ministro da Educação e do antigo titular do sector, Roberto Carneiro, para quem este subsistema de Ensino Superior já atingiu a fase da maioridade.

Aludindo ainda à intervenção de Marçal Grilo, João Pedro de Barros salientou que este governante "conhece profundamente o Ensino Politécnico, daí reconhecer que este subsistema é uma via para o progresso e a modernidade da sociedade portuguesa" uma vez que tem sabido adaptar-se às realidades deste final de século, "um momento de grande evolução cultural, científica e tecnológica que se sente pela Europa".

A posse do mestrado como exigência de base para a docência no politécnico e a criação futura da categoria de professor-titular só para detentores de um doutoramento foram comentadas pelo presidente do ISPV do seguinte modo: "A licenciatura, hoje, já não significa que se esteja preparado para exercer uma docência no ensino secundário ou superior. Quanto ao patamar de professor-coordenador e de professor-titular, é necessário o doutoramento. Nestas últimas categorias é necessária, além do doutoramento, a agregação, prevendo o futuro Estatuto da Carreira Docente que ela deixe a órbita da universidade e passe para o politécnico".

Referindo-se seguidamente ao documento apresentado no Congresso sobre a temática "Pensar o Ensino Superior - Um Contributo" (co-autoria de João Pedro Barros, Cristina Isabel Victória Amaro da Costa e Maria de Fátima Duarte Almeida Pinho), o presidente do ISPV salientou que ele "foi simultaneamente uma mensagem e um apelo para que se deixe de ter uma atitude reactiva, de acordo com as necessidades do momento, e passe a ter-se uma atitude pró-activa". E explicitou: "Cada vez mais é necessário pensar o ensino em termos de Aprender, Aprender e, sobretudo, Empreender, não ficando à espera que o emprego bata à porta".

Num comentário à afirmação proferida pelo senhor Professor-Doutor Luis Soares, Presidente do Conselho Coordenador dos Politécnicos e do ISP do Porto, de que "Politécnicos e Universidades têm paradigmas diversos, mas merecem ser tratados por igual", João Pedro Barros comentou: "Estou em perfeita sintonia com o meu homólogo do Porto, já que, quase diariamente, se lança o anátema da falta de qualidade do corpo docente dos politécnicos quando a verdade é que a totalidade desses professores foram formados nas universidades" sendo, por conseguinte, necessário que "de uma vez por todas, os dois subsistemas de Ensino Superior trabalhem de olhos nos olhos e de mãos dadas numa atitude recíproca de respeito mútuo".

A finalizar a sua intervenção nesta entrevista a Rádio Politécnico, João Pedro Barros referiu que "O ISPV e os restantes Politécnicos têm contado com o apoio do actual governo, com saliência para o senhor Ministro da Educação e o senhor Secretário de Estado Jorge Silva. Aliás, este apoio é bem visível no nosso campus politécnico que daqui por uma dúzia de anos pode ombrear com o que de melhor existe em Portugal".

 

A concepção gráfica dos documentos apresentados pelo ISPV no 3 Congresso do Ensino Superior Politécnico foi da responsabilidade de Paulo Medeiros, do Gabinete de Criação e Inovação integrado no Departamento Cultural do ISPV.

Solicitado a falar do seu trabalho, Paulo Medeiros afirmou: "Quando temos que fazer uma mostra da nossa instituição num evento desta envergadura, a nossa preocupação visa essencialmente o público a quem pretendemos fazer chegar a mensagem. A imagem transmitida pelo ISPV tinha que ser forte e coerente, com um cunho de unidade, mas atendendo às características específicas de cada uma das quatro Unidades Orgânicas que constituem a instituição. Os pormenores de ordem estética tinham, porém, que ser comuns".

Paulo Medeiros salientou depois a apresentação no Congresso de uma roulotte do ISPV apetrechada com informação vária e com um suporte vídeo, para além do inevitável material promocional.

Na óptica do responsável pelo Gabinete de Criação e Inovação, "o marketing e a publicidade não são utilizados apenas por quem tem algo para vender. As instituições têm muito para mostrar e oferecer ao exterior".

 

Emissão de 10 de Março de 1998

José Alberto

Técnico-Adjunto Especialista de 1 Classe

(Relações Públicas - ISPV)

SUMÁRIO