ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE VISEU

 

A 3 Fase da ESTV- uma contribuição para o reforço do Ensino Superior na região

 

Com a construção da 3 Fase da Escola Superior de Tecnologia de Viseu (ESTV), fica completa a estrutura física inicialmente projectada de acordo com o plano por nós proposto na fase de Instalação e aprovado pela Secretaria de Estado do Ensino Superior.

Desde a sua criação, a ESTV desenvolveu esforços simultâneos em duas vertentes fundamentais: a criação de instalações e a criação de cursos considerados prioritários para o desenvolvimento da região onde estamos inseridos.

Começando a funcionar em instalações provisórias, e tendo como primeira preocupação o reforço da qualidade científica dos cursos, as duas primeiras fases de construção foram no sentido da criação de espaços lectivos adequados às necessidades, nomeadamente salas de aula, laboratórios e respectivos equipamentos.

Para a última fase ficaram as áreas administrativas e os serviços de apoio, e ainda alguns espaços de carácter pedagógico, nomeadamente oficinas, biblioteca e um Auditório com capacidade para 204 lugares destinado à realização de conferências, acções de formação e actividades culturais, e que poderá ser colocado ao serviço da comunidade.

Terminadas que foram as obras, está concluído um complexo com uma área de construção de cerca de 17 500 m2, o que a torna uma das maiores Escolas Superiores de Tecnologia do País, com uma capacidade para 2 500 alunos.

As novas instalações vieram permitir a devolução dos espaços das construções das fases anteriores, ocupadas pelos diversos serviços, às actividades pedagógicas, libertando várias salas de aula, laboratórios e gabinetes de docentes.

Viseu passa, assim, a dispor de uma infraestrutura de Ensino Superior Público moderna e funcional, vocacionada para as áreas das Ciências Empresariais e das Engenharias, que continuamente se tem vindo a afirmar na região pela qualidade de formação que vem proporcionando aos seus alunos, pela adequação dessa formação às necessidades do mercado de trabalho, que se tem reflectido no elevado nível de emprego dos seus diplomados e na crescente procura por parte dos candidatos ao Ensino Superior, agora reforçada pela criação das novas Licenciaturas.

A conclusão da terceira fase foi, no entanto, apenas um nível de uma etapa. Com a entrada de aproximadamente 500 novos alunos no ano lectivo de 1998/99, a Escola atingiu a capacidade para que foi projectada.

Sendo previsível um aumento do número de alunos nos próximos anos, estão já a ser desenvolvidos novos projectos no sentido da ampliação das instalações.

Em curso estão também as obras de infraestruturas gerais, arranjos exteriores e instalações desportivas que certamente irão contribuir para uma maior funcionalidade do Campus Politécnico e para o seu enquadramento arquitectónico e paisagístico numa zona privilegiada da cidade de Viseu.

O reforço do Ensino Superior Público na região de Viseu, continuará, pois, a ser um desafio para o Instituto Politécnico e para sua Escola Superior de Tecnologia e terá certamente um sucesso redobrado se contar, como é desejável, com o apoio das forças vivas da região e com o carinho de todos os visienses.

Fernando Sebastião - Presidente do Conselho Directivo da ESTV

SUMÁRIO