MILLENIUM n. 2 - Abril de 1996

 

VULTOS NOTÁVEIS DO TERMO DE VISEU

 

Personalidade pouco conhecida entre nós, foi José Vizinho, natural de Viseu, um dos vultos mais ilustres do séc.XV e de uma importância fundamental para a gesta das descobertas. Médico, astrónomo e matemático, de origem judaica, "Mestre José", como lhe chamaram Cristóvão Colombo, com quem privou e o grande cronista da índia, também viseense, João de Barros, acompanhou D. Fernando, o Infante Santo, no seu Cativeiro do Norte de África, nunca o abandonando, aquando da sua transferência de Arzila para Fez, em 25 de Maio de 1438.

Homem da confiança de D. João II, tornou-se muito conhecido por ter feito parte da junta dos Cosmógrafos ou dos Matemáticos, juntamente com D. Diogo Ortiz, que foi bispo de Ceuta e, mais tarde, de Viseu e mestre Rodrigo, como ele, médico e astrólogo de origem judaica.

Foi discípulo do célebre cosmógrafo Abraão Zacuto, de quem' traduziu o famoso Almanach Perpetum, obra editada há precisamente 5OOanos na cidade de Leiria, tendo exercido uma acentuada influência na ciência náutica dos descobrimentos. Sabe-se também, por uma nota manuscrita de Colombo, ou mais provavelmente, de seu irmão Bartolomeu, que "o sereníssimo rei de Portugal enviou à Guiné, no ano de 1485, mestre José, seu físico e astrólogo, para saber a altura do Sol em toda a Guiné", o que denuncia, sem dúvida, uma fase muito avançada, na utilização deste processo. Tratava-se de, experimentalmente, pôr à prova o *Regimento* das latitudes por observações meridianas do Sol, que tanto contribuiu para o bom êxito do descobrimento do caminho marítimo para a índia.

Terá sido a mestre José, D. Diogo Ortiz e mestre Rodrigo que o Príncipe Perfeito submeteu o famoso piano de Cristóvão Colombo para atingir o Japão navegando para Ocidente. Foi ainda aos do , is primeiros e a mestre Moisés, outro físico judeu, que coube o encargo de entregarem a Pero da Covilhã a carta que este teria levado para o Oriente, com o objectivo de proceder ao inquérito, de carácter geográfico e comercial, ordenado por D. João II.

A importância de José Vizinho em prol dos descobrimentos está bem patente na afirmação produzida pelo notável geógrafo inglês Clements Markham, que foi presidente da Real Sociedade de Geografia de Londres quando, numa conferência proferida naquela cidade,. afirmou: "Todo o trabalho realizado desde o cálculo das tábuas de declinação de Zacuto e a preparação do admirável *Regimento* por mestre José, até à memorável observação de Vasco da Gama, foi puramente português sem qualquer auxílio externo".

 

A.S.S.

 

FONTES:

 

Azevedo, I.; Obras Completas

Peres, D. ; História de Portugal

Serrão, J.; Dicionário da História de Portugal

Serrão, J.V.; História de Portugal

Enciclopédia Luso Brasileira

Enciclopédia Verbo

SUMÁRIO