Instituto Politécnico de Viseu

< início . relações externas . política de internacionalização

 

menu principal

serv. de relações externas

coordenadores académicos

política Erasmus 2014-2020

programas de cooperação

instituições parceiras

redes e associações

cooperação no IPV

info estudante

info docente

info não docente

cooperação – lusofonia

regulamento serv. rel. externas

contactos

 

Declaração de Política Erasmus 2014-2020

A cooperação internacional do Instituto Politécnico de Viseu está consagrada nos seus estatutos e promove, diretamente ou por intermédio das suas unidades orgânicas, a integração em redes e relações de parceria/cooperação com estabelecimentos de ensino superior estrangeiros, organizações científicas internacionais e outras instituições, nomeadamente no âmbito da União Europeia, de acordos bilaterais ou multilaterais firmados pelo Estado Português e ainda no quadro dos países de expressão oficial portuguesa, para efeitos de coordenação conjunta na prossecução das suas atividades. As ações e programas de cooperação internacional devem ser compatíveis com a natureza e fins do Instituto ou das suas unidades orgânicas e ter em conta o seu desenvolvimento estratégico e as grandes linhas de política nacional, designadamente em matéria de educação, ciência, cultura e relações internacionais.

Para a escolha de parceiros serão tidas em consideração a oferta académica, as condições de aprendizagem, a língua de ensino, as estruturas logísticas e a viabilidade de desenvolvimento de projetos conjuntos quer ao nível de ensino, formação profissional e investigação que possam reverter a favor dos estudantes, docentes e funcionários. No que se refere às áreas geográficas, e em particular no espaço europeu, é dada prioridade a países que permitam o desenvolvimento de atividades em língua inglesa, que disponibilizem condições de aprendizagem/formação compatíveis com as necessidades dos estudantes, docentes e funcionários, que garantam condições socioeconómicas adequadas aos nossos públicos e que possam integrar futuros projetos de cooperação internacional. Quanto a países não europeus, é dada prioridade aos países de língua oficial portuguesa. O IPV pretende aumentar o número de protocolos com instituições de ensino superior e outros organismos nestes países, no sentido de fomentar a cooperação no âmbito das atividades académicas, e também, numa perspetiva de formação profissional a disponibilizar a estudantes e docentes. É com este objetivo que o IPV integra o conjunto de instituições que assinou acordos de cooperação com o Brasil de forma a receber alunos deste país. O IPV constituiu um Núcleo de Apoio ao Estudante Estrangeiro do Espaço Lusófono (NAEL) que para além de receber e integrar os alunos oriundos dos países de língua oficial portuguesa que frequentam a instituição, pretende colaborar na divulgação do património cultural destes países, reforçando as pontes existentes. A política de internacionalização do IPV estabelece como objetivos fundamentais o reforço da cooperação, intercâmbios e mobilidade enquanto meios essenciais para promover:

- Uma formação de qualidade assente no princípio da formação integral do indivíduo e aquisição de competências-chave, estimulando a iniciativa, a criatividade, a autonomia de forma a incrementar os níveis de empregabilidade;

- A aprendizagem ao longo da vida, alargando o leque de possibilidades de formação e experiências educativas e profissionais;

- O reconhecimento e transparência de habilitações e competências de forma a proporcionar a circulação das pessoas no espaço internacional para efeitos de prossecução de estudos ou profissionais;

- A investigação de elevado nível, que fomente a produção e transferência de conhecimento e tecnologia, a inovação e uma estreita comunicação com os parceiros económicos e sociais;

- A compreensão intercultural, a aprendizagem de línguas e o sentido de cidadania ativa (europeia e transeuropeia);

- Serviços de qualidade assentes em referências e boas práticas internacionais, incluindo a dimensão social no ensino superior;

- A qualidade e inovação a todos os níveis de atuação da instituição, incluindo conteúdos, metodologias e práticas, com destaque para a utilização das novas tecnologias de informação e comunicação;

- A igualdade de oportunidades.

Os principais públicos das atividades de mobilidade internacional são os alunos de 1º e de 2º ciclo, quer para períodos de estudos, quer para estágio. Será promovida a participação de estudantes em estágios, quer ao nível da formação profissional curricular, quer extracurricular tirando as mais-valias da participação do IPV no maior Consórcio Regional Português, Erasmuscentro em colaboração com todos os institutos politécnicos da região centro de Portugal.

Os nossos professores são também uma prioridade no âmbito da cooperação internacional para a participação em missões de ensino, formação e outros projetos de investigação que reforcem as sinergias internacionais no IPV e nos seus alunos nacionais e internacionais.

O Instituto Politécnico de Viseu tem a sua cooperação internacional integrada no sistema de gestão da qualidade que está certificada cumprindo com os requisitos da norma NP EN ISSO 9001:2008 (http://www.ipv.pt/20110525091630371.pdf ) que permite o planeamento, gestão, monitorização e avaliação das suas atividades e impacto das mesmas na sua estrutura institucional.

imprimir