Conselho Geral do Instituto Politécnico de Viseu:

Tomada de posição face ao Projeto de Resolução 688/XII

 

O Conselho Geral do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), em reunião extraordinária convocada para o efeito, apreciou o projeto de Resolução 688/XII que irá ser discutido na Assembleia da República no dia 8 de maio.

O referido documento propõe rever as missões dos Politécnicos e das Universidades. O Conselho Geral concorda com a necessidade de clarificação deste sistema binário. O referido projeto de resolução é, no entanto, demasiado generalista e vago, o que o torna muito vulnerável ao eventual desconhecimento por parte de alguns deputados da realidade dos factos.

O IPV tem feito um trabalho notável de afirmação a nível nacional e regional. Esta evolução aproximou e em alguns casos ultrapassou, o nível qualitativo das universidades. Senão vejamos alguns factos sobre a atividade do IPV:

Em resumo, o IPV tem hoje uma grande capacidade científica, um elevado impacto regional e uma gestão avançada. O seu futuro tem de passar pela sua evolução para um modelo de Universidade de Ciências Aplicadas e não por qualquer retrocesso.

Por tudo isto, por aquilo que a região necessita do IPV, o Conselho Geral entende que esta instituição não pode perder competências. O reforço das competências do IPV através da requalificação dos CET´s em cursos superiores de curta duração é um caminho positivo mas, em caso algum, se podem perder quaisquer outras competências como os mestrados.

Caso tal acontecesse seria o definhar do ensino superior público em Viseu.

O Conselho Geral entende que o IPV tem de continuar o seu caminho rumo à excelência, com base em critérios de mérito, ambição e rigor. O Conselho Geral entende que o ensino superior público em Viseu tem de ser sempre uma prioridade estratégica política. O IPV é a nossa instituição de ensino superior de referência, com a qual todo o nosso futuro educativo terá de ser construído.

O Conselho Geral regozija-se com as tomadas de posição dos principais partidos políticos e da AIRV a nível regional, no sentido da defesa e reforço das competências do IPV. O Conselho Geral acredita na capacidade dos nossos deputados, na sua atenção permanente à realidade de Viseu e na sua defesa dos interesses da região que os elegeu.

A promoção e reforço das competências do IPV é um objetivo estratégico que deve unir todos. O Conselho Geral deseja que os interesses da Região de Viseu sejam defendidos e que os receios manifestados, face a este projeto de resolução, por este órgão e por diversas entidades regionais se venham mostrar infundados.

Esta tomada de posição foi aprovada por unanimidade em reunião do Conselho Geral do dia 07/05/2013.

 

O Conselho Geral do Instituto Politécnico de Viseu

7 de maio de 2013

* Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

anterior || imprimir