< ipv.pt :: Verão com Ciência no Politécnico de Viseu



Politécnico de Viseu recebe financiamento de 180 mil euros para "Escolas de Verão"

Um apoio especial da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) vai dinamizar a realização de "Escolas de Verão" em resposta à pandemia de COVID-19. Entre julho e outubro, o Politécnico de Viseu - o segundo Politécnico com mais candidaturas aprovadas - vai acolher oito "Escolas de Verão".

A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) anunciou a atribuição de financiamento no montante de 179.941,00 euros a oito "Escolas de Verão" propostas pelo Politécnico de Viseu (PV). A iniciativa "Escolas de Verão" decorre no âmbito do apoio especial "Verão com Ciência", promovido pela FCT, em colaboração com a Direção Geral do Ensino Superior (DGES).

João Monney Paiva, Presidente do Politécnico de Viseu, valoriza a dinâmica dos docentes e investigadores das várias Escolas que, num curto espaço de tempo, apresentaram projetos de áreas formativas como as Ciências Agrárias, Alimentares e Veterinárias, as Ciências da Vida e da Saúde, a Educação e Desenvolvimento Social e as Engenharias e Tecnologias.

Para além do importante contributo que esta iniciativa vai constituir para a formação dos estudantes, João Monney Paiva considera que este financiamento contribui para os bons resultados que têm sido obtidos na área da Investigação e Inovação no PV, com aumento das receitas de vários projetos nacionais e internacionais, através da colaboração crescente entre as diversas escolas superiores e seus departamentos.

As "Escolas de Verão" aprovadas para o Politécnico de Viseu foram: "A aplicação da Impressão 3D a Projetos de I&D", Serafim Oliveira; "Agroecologia e sistemas alimentares sustentáveis", Cristina Amaro da Costa; "Aplicações IoT para a área da saúde", Ivan Pires; "Competências Emocionais e Prevenção do Abandono no Ensino Superior", Manuela Ferreira; "Dinâmicas e Estratégias de Inclusão para a Promoção e Literacia em Saúde no Ensino Superior", Carlos Albuquerque; "Economia Circular – Desenvolvimento de Soluções Sustentáveis", Isabel Brás; e "INVEST - Iniciação à inVESTigação e Publicação científica: potencialidades da revisão sistemática da literatura e meta-análise", Madalena Cunha, e "Mentores em ação", Emília Coutinho.

 

DOCENTES/INVESTIGADORES POLITÉCNICO DE VISEU

CANDIDATURAS APROVADAS

 

Título: Agroecologia e sistemas alimentares sustentáveis

Docente: Cristina Amaro da Costa

Contacto: amarocosta@esav.ipv.pt

Breve descrição: A transição para sistemas alimentares sustentáveis é um desafio da atualidade, em particular face às taxas alarmantes de insegurança alimentar e desnutrição e de "supernutrição" (obesidade), juntamente com a crescente perda de biodiversidade e mudanças climáticas. A agroecologia como motor de sistemas alimentares sustentáveis (SAS) procura dar resposta a estas questões, promovendo em simultâneo o papel da mulher e a igualdade de género, a agricultura familiar, a soberania e a justiça alimentar. Para tal, é crucial e urgente a formação dos futuros atores nas diversas componentes da agroecologia e de SAS, participando e promovendo iniciativas que se têm vindo a desenvolver a nível nacional, como as bioregiões ou a promoção de dietas alimentares sustentáveis ao nível de diversos municípios.

Propõe-se assim o plano de formação para a Escola de Verão "Agroecologia e sistemas alimentares sustentáveis"", estruturado ao longo de 12 semanas (48 horas), dividido entre uma sessão de formação semanal (4 horas) e a participação em projetos de investigação em curso no âmbito da Agroecologia e SAS. As atividades de investigação devem decorrer dos projetos em curso (ver anexo) ou dos estágios que estejam a desenvolver desde que se enquadrem no programa da Escola.

 


 

Título: Economia circular – Desenvolvimento de Soluções Sustentáveis

Docente: Isabel Brás

Contacto: ipbras@estgv.ipv.pt

Breve descrição: Escola de Verão " Economia circular – Desenvolvimento de Soluções Sustentáveis", estruturado ao longo de 12 semanas, correspondendo a um total de 420 horas. A componente de formação está dividida entre sessões de formação semanal (4 horas) e a participação em projetos de investigação em curso no âmbito da inovação em produtos sustentáveis e valorização de resíduos.

Destina-se a estudantes pré-graduados (cursos técnicos superiores profissionais, licenciaturas ou mestrado) e graduados (mestrados e mestrados itegrados) das áreas das ciências da vida ou engenharias com conhecimentos de química e biologia. Prevê-se a seleção de 6 alunos para bolsas de iniciação à investigação e 4 alunos para bolsas de investigação.

 


 

Título: Aplicação da impressão a 3D a projetos de I&D

Docente: Carlos Catorze Pereira

Contacto: ccatorze@estgv.ipv.pt

Breve descrição: Nas áreas das engenharias e tecnologia, a Manufactura Aditiva, juntamente com inteligência artificial e o "machine learning", é uma das áreas de maior interesse e com um enorme potencial de crescimento. Este projecto visa acrescentar à formação em engenharia, uma formação específica que sirva de introdução ao "mundo" da Manufatura Aditiva (ou Impressão 3D). Adicionalmente, as atividades I&D têm vindo a explorar cada vez mais as oportunidades abertas pela Manufactura Aditiva. A versatilidade desta ferramenta, a facilidade na construção de baixo custo, quer de peças individuais, quer de sistemas completos e os diferentes materiais à disposição, tornaram-na num aliado indispensável a qualquer investigador.

Adicionar este conhecimento específico à formação de base e aplicá-lo em atividades de I&D é, sem dúvida, uma mais valia para o futuro dos formandos e para o futuro da I&D nacional. Propõe-se assim o plano de formação para a Escola de Verão "A aplicação da manufatura aditiva a Projetos de I&D", estruturado ao longo de 12 semanas, dividido entre um conjunto de sessões de formação e a participação em atividades I&D em curso e no âmbito de projetos de investigação.


 

Título: Competências Emocionais e Prevenção do Abandono no Ensino Superior

Docente: Manuela Ferreira

Contacto: mmcferreira@gmail.com

Enquadramento: O insucesso académico, o abandono e a desmotivação de muitos estudantes é preocupante para as famílias, para as instituições de ensino superior e para o País. O insucesso é muitas vezes explicado pela falta de interesse, pela dificuldade de adaptação ao curso e à instituição de ensino superior, pela falta de métodos de estudo e pela complexidade de contextos e ambientes emocionais vivenciados pelos estudantes.

Nesta fase da sua vida, os estudantes são confrontados com novas tarefas, desafios e um acréscimo de responsabilidades, mas também de oportunidades de desenvolvimento de projetos pessoais e académicos. Estes novos projetos podem, no entanto, ser motivo de frustração e desmotivação. Os estudantes podem não ter as competências emocionais e cognitivas necessárias à integração nesse contexto, podendo ter impacto negativo na sua adaptação e no sucesso académico, levando-os ao abandono do ensino superior.

Objetivo: O objetivo geral do estudo é o de diagnosticar e sistematizar os dados relativos ao abandono e insucesso académico no Instituto Politécnico de Viseu, nos seus diferentes domínios científicos. Como objetivos específicos pretendemos: identificar fatores preditores do sucesso e performance académica no Ensino Superior; identificar eventuais padrões de insucesso e abandono nos domínios estudados; analisar determinantes das competências emocionais dos estudantes e a sua relação com o sucesso académico; identificar os eventuais fatores que podem influenciar a decisão de abandono do ensino superior e, por fim, identificar as prioridades de intervenção de natureza preventiva e sugerir linhas de ação promotoras do sucesso. A proposta de formação será implementada pela equipa de investigação e centra-se na Gestão Emocional que permita o empoderamento dos Estudantes do IPV, para prevenção do abandono escola.


 

Título: Mentores em Ação

Docente: Emília Coutinho

Contacto: emiliacoutinho@sc.ipv.pt

Breve descrição: A produção de ciência exige o conhecimento e domínio de todas as metodologias, técnicas e ferramentas necessárias à validação da investigação e à aplicabilidade do conhecimento, permitindo a sua transferência para a comunidade e para as organizações e mercado de trabalho, além de formar os estudantes enquanto cidadãos socialmente responsáveis. Neste sentido, este programa exige como alicerce a formação em I&D, fornecendo a todos os estudantes os conhecimentos necessários para agirem nessa área. Propõe-se, assim, um plano de formação para o programa “Mentores em ação”, estruturado em 45 horas de sessões de formação presencial, e investigação -ação, através da participação na construção de um programa de mentoria, a implementar a partir de setembro de 2020 no IPV.

Em termos genéricos, o programa engloba, então, formação integrada e investigação-ação, estruturando-se da seguinte forma: ETAPA A - 1) Formação para a I&D - 10 horas: metodologia de investigação e processo de investigação-ação; 2) Módulo “Mentoria e cidadania” - 8 horas : Fundamentos da mentoria; Cidadania e ação; 3) Módulo “Comunicação e Dinâmicas de grupo” - 10 horas; 4) Módulo “Gestão de tempo” - 5 horas; 5) Módulo “Métodos de Estudo” - 7 horas; 6) Módulo “Gestão de conflitos” - 5 horas. A ETAPA B concentrar-se-á na criação do plano de mentoria a implementar a partir de setembro de 2020 e na especificação de todas as atividades de acolhimento dos estudantes recém-chegados. Finalmente, na ETAPA C - pretende-se envolver os estudantes nas atividades de acolhimento do início do ano letivo, bem como avaliar a satisfação dos estudantes envolvidos neste programa. O programa será supervisionado pela coordenadora, Emília Coutinho e pelos docentes que integram o Grupo de Missão para a Inclusão (Paula Santos, Isabel Martins, Helena Vala, Ana Berta Alves, Cláudia Chaves, Artur Sousa, Carlos Quental, Cristina Peixoto, Cristina Amaro da Costa, Paula Correia, Olga Contente, Nídia Menezes, Sofia Campos).


 

Título: Dinâmicas e Estratégias de Inclusão para a Promoção e Literacia em Saúde no Ensino Superior

Docente: Carlos Manuel de Sousa Albuquerque

Contacto: cmalbuquerque@gmail.com

Enquadramento do Curso: Proposta orientada no sentido de complementar iniciativas formativas prévias. No concreto, na génese deste curso de formação superior esteve o reconhecimento da necessidade de se responder às recomendações do recente Plano de Ação para a Literacia em Saúde: Portugal 2019-2021, editado pela Direção Geral de Saúde. Tendo por referência os desafios aí expressos, reconhece-se que as instituições do ensino superior, que almejam ser promotoras de saúde, devem ter, no seu todo, um conjunto de responsabilidades transversais, que passarão por: (i): providenciar recursos e estruturas organizacionais para apoiar os processos de promoção da saúde; (ii) criar uma cultura institucional promotora de saúde, e (iii) assumir um papel de liderança, de modo a contribuir para o aumento da saúde e do bem-estar da sociedade em geral.Esta linha de orientação, tem como matriz embrionária os pressupostos do anterior Plano Nacional de Saúde 2012-2016 para os contextos promotores de saúde, quando preconizava que “as instituições do ensino superior devem ser influenciadas e abrangidas no sentido de valorizarem a saúde escolar e a promoção da saúde, enquanto dimensão do desenvolvimento pessoal e social do jovem”. Partindo deste referêncial, diriamos que o objetivo principal deste curso de formação superior consiste na estruturação e implementação, junto dos participantes, de um programa formativo diferenciado centrado na dimensão da promoção de saúde ao nível do ensino superior, no sentido de promover e potenciar a capacidade da pessoa administrar e se co-responsabilizar pela sua saúde (até numa de resposta mais responsável à pandemia de COVID-19), adotar comportamentos saudáveis e utilizar os serviços de saúde de forma mais efetiva, assegurando a autonomia no processo de tomada de decisão. Plano de Formação (48 horas teóricas em 12 semanas; 4 horas/semana): 1. Literacia para a Saúde (LpS): oportunidades e desafios; 2. Abordagens metodológicas em LpS; 3. LpS no Ciclo de Vida; 4. LpS em Instituiçoes do Ensino Superior: contextos e políticas ; 5. Promover o conhecimento e a investigação em LpS; 6. Tecnologia e Inovação na promoção da literacia para a saúde; 7. Literacia Digital de Saúde: eLiteracia; 8. Cuidados de saúde e literacia em COVID-19. Formadores: Investigadores do programa de formação de I&D e Odete Amaral.


 

Título: Aplicações IOT para a Área da Saúde

Docente: Ivan Pires


 

Título: Projeto: INVEST - INiciação à inVESTigação e publicação científica: potencialidades da revisão sistemática da literatura e meta-análise

Docente: Maria Madalena Jesus Cunha Nunes

Contacto: madalenacunhanunes@gmail.com

Enquadramento: O estudante do ensino superior carece de adquirir ferramentas seguras para aceder e ou aplicar/divulgar a melhor evidência científica. O conceito “Evidence-Based” (baseado em evidência) teve um rápido desenvolvimento desde o seu surgimento em 1989, tendo em associação, emergido como metodologia de investigação, a necessidade crescente de realizar revisões sistemáticas da literatura (RSL). Estas assumem-se como peça fundamental para sintetizar o conhecimento atual em níveis de evidência e permitem aos estudantes manter-se atualizados quando sobrecarregados pelo grande volume de literatura científica. O curso visa dotar o estudante de conhecimentos e competências para compreender e ou realizar uma revisão sistemática com meta-análise, indicando todas as etapas do processo. Objetivos: Tornar acessível os passos que compõem uma RSL; Facilitar a interpretação e/ou produção de uma RSL. O projeto centra-se no empoderamento dos estudantes do ensino superior, porquanto é preciso ter adequado “methodological training” para realizar uma RSL válida e de qualidade, sendo igualmente necessário interpretar adequadamente as revisões e aplicar as suas conclusões à prática profissional.

 

 

Mais Informação Brevemente