Pelo segundo ano consecutivo, o Instituto Politécnico de Viseu (IPV) tem três autores no top 2% dos melhores a nível mundial, nas mais diversas áreas de investigação científica e do desenvolvimento tecnológico, segundo a avaliação da Universidade de Stanford, baseada nos dados da Editora Científica Elsevier relativos ao ano 2021: September 2022 data-update for “Updated science-wide author databases of standardized citation indicators” – Elsevier BV (digitalcommonsdata.com). Os autores em causa, Raquel Guiné, Vítor Martinho e Bruno Esteves, são investigadores integrados do Centro de Investigação CERNAS – Unidade de Gestão no IPV.

 

Raquel Guiné, docente na ESAV/IPV e investigadora no grupo de Engenharia Alimentar do CERNAS-IPV, acumula também a coordenação da Unidade de Gestão daquele centro de investigação no IPV. Listada na categoria Autores/Carreira e ainda na categoria Autores/Ano.

 

Vítor Martinho é docente na ESAV/IPV, investigador e coordenador do grupo de Ciências Agrícolas do CERNAS-IPV. Listado na categoria Autores/Ano.

 

Bruno Esteves, docente na ESTGV/IPV, é investigador e coordenador do grupo de Ambiente e Sociedade do CERNAS-IPV. Listado na categoria Autores/Ano.

Este reconhecimento internacional de relevo, é demonstrador da qualidade do trabalho científico desenvolvido no IPV, e em particular no Centro de Estudos de Recursos Naturais, Ambiente e Sociedade – CERNAS.

 

Este centro de investigação tem sede no Politécnico de Coimbra e dois polos, um no Politécnico de Viseu e outro no Politécnico de Castelo Branco, abrangendo o ensino e a investigação no setor Agroalimentar e ambiental na Região Centro. Refira-se que na última avaliação, feita por um painel internacional da FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia, este centro de investigação mereceu a classificação de Muito Bom, a qual é tida como referência para que as instituições, mesmo que no ensino politécnico, possam vir a conferir o grau de doutor.

Pin It on Pinterest

Share This